Projeto de lei

Transferência da Feira da Sulanca segue parada, 2 anos após aprovação

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 31/07/2017 às 15:21
NOTÍCIA
Leitura:

Feira da Sulanca funciona atualmente no Parque 18 de Maio
Foto: arquivo/JC Imagem

A transferência da Feira da Sulanca de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, ainda não foi realizada, dois anos após a polêmica votação da Câmara dos Vereadores que aprovou o projeto. Na época, a gestão do ex-prefeito José Queiroz (PDT) adquiriu um terreno no valor de R$ 11 milhões junto ao Governo do Estado para a transferência da feira.

A ideia é que a feira, que funciona no Parque 18 de Maio, seja transferida para um terreno de 60 hectares às margens da BR-104, no sentido Caruaru/Toritama. Cerca de 12 mil feirantes fixos comercializam no Parque 18 de Maio. No entorno, existem ainda mais de 500 lojas e 18 feiras.

O projeto da transferência da feira foi aprovado pela Câmara de Vereadores no dia 30 de julho de 2015, após duas votações. Na primeira, foram 15 votos a favor, 7 contra e uma abstenção. O projeto precisava de 16 votos favoráveis para passar. Em segunda votação, foram 16 votos a favor, 6 contra e uma abstenção. Na época, o vereador Nino do Rap, que mudou o voto de "não" para "sim", alegou ter sofrido ameaças na primeira votação.

O PL nº 5.541 foi sancionado por Queiroz em agosto de 2015 e previa a transferência definitiva da feira do Parque 18 de Maio e implantação de um sistema de condomínio na nova Feira da Sulanca. Em setembro daquele ano, o MPPE entrou com ação civil pública com pedido de liminar para suspender o processo de transferência. O ministério teria detectado irregularidades no processo, como falta de licitação para obra. Desde então, o processo segue travado.

Na manhã desta segunda-feira (31), o secretário de Desenvolvimento Econômico e Economia Criativa de Caruaru, João Melo Neto, concedeu entrevista à Rádio Jornal Caruaru sobre o assunto. O secretário afirmou que nos primeiros 180 dias da gestão, estudos ainda estão sendo realizados. Ele não deu previsão de quando uma decisão será tomada.

Confira a entrevista completa:

Mais Lidas