Ponto turístico

Alto do Moura: música e arte por toda parte

O Alto do Moura é reconhecido internacionalmente como o Maior Centro de Artes Figurativas das Américas, devido ao grande número de ateliês de arte em barro.

Ana Maria Miranda
Ana Maria Miranda
Publicado em 17/05/2019 às 15:52
NOTÍCIA
Leitura:
Artista plástico e ceramista Ed Bernardo une gastronomia e arte na Comedoria Mulheres de Fibra
Foto: Janaína Pepeu/SJCC Interior

 

O Alto do Moura é reconhecido internacionalmente como o Maior Centro de Artes Figurativas das Américas, devido ao grande número de ateliês de arte em barro, de artistas que seguem os passos do mestre Vitalino. Porém, o bairro também conta com locais em que as pessoas podem conhecer outros tipos de arte. Um destes espaços é a Comedoria Mulheres de Fibra, que existe há cinco anos.

O artista plástico e ceramista Ed Bernardo, que é do Recife mas decidiu morar no Alto do Moura há nove anos, é o fundador do espaço com decoração rústica e que prega o contato entre as pessoas. A comedoria comporta cerca de 100 clientes e recebe apresentações musicais de artistas como Almério e Junio Barreto. No ambiente, são servidos petiscos como camarão, carne de sol, cuscuz recheado, entre outros. Além da gastronomia regional com um toque sofisticado, os clientes podem conhecer um museu, que está em desenvolvimento, sobre a viagem realizada durante quatro anos por Ed pelos estados do Nordeste em uma carroça. A comedoria funciona nos sábados e domingos, a partir das 14h.

Pousada Casa da Gente recebe hóspedes em busca de natureza, cultura e tranquilidade
Foto: Janaína Pepeu/SJCC Interior

Outro local que merece uma visita é a Pousada Casa da Gente, na rua Mestre Vitalino, que tem espaço para hospedar 26 pessoas. Antigamente, o espaço recebia apenas familiares e amigos, mas, há sete anos, o consultor de empresas Roberto Martins, 60, decidiu abrir o ambiente para pessoas novas. Lá, já recebeu hóspedes de Recife e Olinda, Mato Grosso, Rio de Janeiro e até outros países, como Austrália e França.

"Aqui o objetivo é que as pessoas se sintam em casa, é um local para interagir, conversar, trocar ideia sobre temas diversos. As pessoas dizem que aqui a vida passa mais devagar, que a gente tem mais qualidade de vida", afirmou Roberto, que pretende chegar aos 114 anos. Além do ambiente aconchegante, que tem várias redes e plantas, um reservatório com peixes e fontes de água que ajudam a criar o clima de tranquilidade, a pousada oferece apresentações musicais periodicamente. O espaço de festas já recebeu shows de artistas como Silvério Pessoa, Xangai, Cezzinha, Santanna, entre outros, abertos para não-hóspedes.

Visitante aquece corpo e alma na Vivenda Campestre
Foto: Janaína Pepeu/SJCC Interior

Também com a proposta de tranquilidade e contato com a natureza, a Vivenda Campestre, que fica um pouco mais distante, na comunidade de Taquara de Cima, funciona como uma casa de arte e cultura, além de ter um espaço para acolhimento de animais. A ideia veio da administradora do espaço, a assistente social Christiane Luna, 40. "Aqui é para pessoas que buscam por um lugar para relaxar, se sentir bem. Muita gente diz que tem uma sensação de cura", contou. Eventos periódicos, como uma ciranda cultural, são realizados na chácara. Apresentações de capoeira, poesia, teatro, dança e música, com a participação de artistas da região, animam as tardes e noites dos visitantes. Na frente do palco, uma fogueira aquece o público e ilumina a noite estrelada.

Mais Lidas