Festival de Inverno

Primeiro fim de semana do FIG tem shows de Zélia Duncan e Barão Vermelho

Clima frio e shows de grandes artistas embalaram o público que esteve em Garanhuns no fim de semana

Marília Pessoa
Marília Pessoa
Publicado em 22/07/2019 às 9:45
NOTÍCIA
Felipe Souto Maior/Secult-PE/Fundarpe
FOTO: Felipe Souto Maior/Secult-PE/Fundarpe
Leitura:

O primeiro semana do Festival de Inverno de Garanhuns, no agreste pernambucano, foi marcado por muita música, chuva, frio e muita gente. Os shows de artistas como Zélia Duncan, Barão Vermelho e outras atrações da programação esquentaram a cidade.

No sábado (20), grandes artistas da música brasileira deixaram sua marca no festival. O público se emocionou com os clássicos da cantora Zélia Duncan e cantou junto. "Já vim várias vezes aqui. Amo vários artistas daqui e todo pensamento que vem de Pernambuco. Para mim, é muito natural estar aqui e eu pretendo vir sempre", contou a cantora.

O público também vibrou ao som do rock nacional de Barão Vermelho. A banda estava animada por ter tocado para um público tão grande. "Eu nunca toquei para tanta gente. Eu costumava vir para o Nordeste para fazer show. Tô muito animado de tocar aqui nesse festival tão emblemático", afirmou o vocalista Rodrigo Suricato.

As pessoas presentes estavam aproveitando bastante o frio da Suíça Pernambucana. A fonoaudióloga Karen Nascimento elogiou as baixas temperaturas da cidade: "O clima é maravilhoso. Uma bebida quentinha para esquentar e os amigos juntos é maravilhoso".

Durante o dia, o Festival de Inverno de Garanhuns tem uma programação especial voltada para as crianças. A novidade deste ano é o "FIGUINHO", um projeto que insere a criançada no universo da arte circense e da literatura. Além da programação infantil, também era possível aproveitar atrações culturais no Palco da Cultura Popular Ariano Suassuna, que fica no centro da cidade e traz o melhor do maracatu, coco, frevo, forró e reisado.

No domingo, a cantora e compositora Leila Pinheiro celebrou os 38 anos de carreira dela no Conservatório Pernambucano de Música. A catedral de Santo Antônio ficou pequena para tanta gente. A cantora destacou a troca de energias com o público durante a apresentação: "Essa troca é muito rica e espetacular. Cantar em um ambiente assim, que já tem por si só uma emoção embutida".

Veja a reportagem:

Mais Lidas