menu

Assombrações reais? Equipe da TV Jornal passa a noite em suposta casa assombrada

Relatos são de arrepiar até a mais cética das pessoas

Quinteto se dispôs a passar a noite na suposta Casa Assombrada
Quinteto se dispôs a passar a noite na suposta Casa Assombrada (Reprodução/NE10 Interior)

Adrenalina à flor da pele, olhos e ouvidos atentos para todos os possíveis barulhos que se possa ouvir. Passar a noite em uma casa supostamente assombrada pode não ser a programação mais divertida para um fim de semana, no entanto, o desafio proposto para parte da equipe de conteúdo da TV Jornal Interior foi aceito e um quinteto de profissionais esteve no sítio Riachão de Dentro, de Lagoa dos Gatos, para gravar uma reportagem especial para o programa Sobretudo e quem sabe ver algumas assombrações reais.

Entre os cinco que se habilitaram para a função estavam o apresentador Wagnner Sales, o estudioso em atividades paranormais Wagner Andrade, o analista de audiência e mídias digitais do Sistema Jornal do Commercio (SJCC) Interior Giliard Santana, o produtor Antonio Neto e o cinegrafista Jeizon Freitas; Os relatos da noite no local são de arrepiar até os mais descrentes no assunto.

A noite no local

A proposta era dormir, mas não houve quem conseguisse na casa assombrada. A equipe fala sobre momentos de tensão no qual barulhos e arrepios deixavam todos apreensivos. O local tinha uma energia forte e a maioria da luminosidade na casa era feita por aparelhos elétricos levados pela equipe. Essa portabilidade de materiais levou o grupo a instalar acampamento na sala de estar da casa.

O estudioso Wagner Andrade também levou instrumentos para detectar energias, que responderam a partir do momento em que a equipe entrou na casa. Wagner também é médium e em alguns momentos da noite precisou comunicar-se com os espíritos através da psicografia, técnica conhecida como uma espécie de diálogo com as almas na qual os espíritos utilizam a mão do médium para escrever. As cartas tinham apenas uma função: alertar a equipe sobre os perigos da missão que tinham pela frente.

Entre os avisos de cuidado mandados por um dos guias espirituais de Wagner, uma comunicação chamou a atenção de todos próximo a hora do sol nascer: uma ameaça. O suposto espírito que tinha posse sobre o local mandou a equipe sair antes que fosse tarde. Ele se intitulava como "Senhor das Sombras". A denominação assustou a equipe e fez com que a missão de passar a noite na casa fosse abortada.

Para o analista de audiência e mídias digitais Giliard Santana a experiência foi surreal. "Não ver, mas, sentir que existe alguém ali além de você e que tem a possibilidade de ser um espírito e ter contato com alguém que já morreu. Acho que foi uma experiência diferente do que eu já vivi até então. Curiosa, mas especial. Encarei também como um desafio para me conhecer e entender até onde eu seria capaz de lidar com um possível medo", explica.

Confira a matéria do programa "Sobretudo", da TV Jornal Interior