Entretenimento

Após polêmica, Netflix e Porta dos Fundos fecham novo especial de Natal para 2020

Atração tornou-se o conteúdo brasileiro mais visto da história do serviço de streaming

Antonio Virginio Neto
Antonio Virginio Neto
Publicado em 18/12/2019 às 18:05
NOTÍCIA
Reprodução/NE10 Interior
FOTO: Reprodução/NE10 Interior
Leitura:

Após lançar o polêmico especial de natal "A Primeira Tentação de Cristo", a parceria entre a Netflix e o Porta dos fundos parece estar longe de acabar. O grupo de humor e o serviço de Streaming já fecharam um acordo para a produção de um novo especial de Natal para o ano de 2020.

O acordo foi renovado, segundo informações do jornal O Globo, após a produção tornar-se o conteúdo brasileiro mais assistido da história da plataforma. Entretanto, nem todo mundo gostou da obra. Bispos, políticos e religiosos condenaram a atração.

Bispo pediu cancelamento de assinatura

O bispo da Diocese de Palmares, na zona da Mata sul do estado de Pernambuco, pediu aos fiéis que cancelem a assinatura do serviço de streaming de séries e filmes, Netflix. De acordo com Dom Henrique Soares da Costa, o pedido é motivado pelo especial de natal do Porta dos fundos,  "A Primeira Tentação de Cristo" lançado na plataforma durante o mês de Dezembro. 

Na obra polêmica do grupo de humor, Jesus, interpretado pelo humorista e apresentador Gregório Duvivier, chega aos 30 anos e tem uma crise existencial. Ele leva um convidado para sua festa de aniversário, o namorado Orlando (Fábio Porchat). Além das brincadeiras com a sexualidade de Jesus, o conteúdo da obra também coloca o messias cristão estudante universitário de esquerda, militante gay e fã de boy bands. A obra ainda sugere o uso de maconha por Maria e brinca com uma possível traição a José.

Segundo Dom Henrique, em nota divulgada através das redes sociais, o filme zomba da fé cristã. "A Netflix deu um bofetão no rosto de todos os cristãos; cuspiu na nossa cara, zombando da nossa fé. Certamente, instigada pela força demoníaca que tem inspirado tantos e tantos corações e mentes nestes tempos de neo-paganismo, esta empresa ofereceu na sua programação como “Especial de Natal” um filme blasfemo, vulgar e desrespeitoso para com o nosso Deus e Senhor Jesus Cristo e sarcástico com a fé de todos os cristãos", comenta.

Veja declaração na íntegra

Petição online

Através da plataforma de petições online "change.org", foi criado um abaixo assinado com a intenção de retirar o material do ar. Intitulada "impedimento do filme de natal da Netflix e porta dos fundos, por ofender gravemente os cristãos", o material tem como meta 500 mil assinaturas. Até o momento da publicação desta reportagem, a meta foi batida e chegou a mais de 2 milhões de assinaturas.

Trailer

Mais Lidas