Operação Será

Produtor diz que supostas músicas inéditas de Renato Russo são rascunhos

Operação policial foi deflagrada na última segunda para procurar canções

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 28/10/2020 às 11:29
NOTÍCIA
Divulgação
FOTO: Divulgação
Leitura:

Após a deflagração de uma operação pela Polícia Civil do Rio de Janeiro para procurar supostas músicas inéditas do cantor Renato Russo, o ex-produtor dos discos solo do vocalista da Legião Urbana, Carlos Trilha, afirmou que não existem canções inéditas do cantor, apenas rascunhos de poemas e letras em cadernos.

A polícia cumpriu mandados de busca e apreensão na última segunda-feira (26) dentro da operação "Será", uma referência a uma das músicas da banda. As supostas canções inéditas estariam com o jornalista Marcelo Fróes, que produziu três álbuns póstumos de Renato Russo.

A operação foi deflagrada após denúncias feitas pelo filho de Renato, Giuliano Manfredini, que é responsável pelo espólio do pai. Foram apreendidas cerca de 30 composições, assim como HDs, computadores e o celular do jornalista.

À Folha de S.Paulo, Carlos Trilha disse que é improvável que haja algum conteúdo novo que não tenha sido visto pela equipe da Legião Urbana. O produtor afirma que as canções que existiam foram lançadas no álbum póstumo "Uma Outra Estação" (1997), alguns meses depois da morte de Renato Russo, e no disco "Último Solo".

Músicas inacabadas

O produtor revelou ainda que há alguns conteúdos residuais, como músicas não acabadas e gravações do cantor com a voz desafinada, mas que o material é privado e não será publicado em respeito à memória do cantor.

Trilha contou ainda que Fróes comentou com ele que havia letras e poesias inéditas de Renato, mas nenhuma estaria musicada. O jornalista teria encontrado o material durante visita ao antigo apartamento do cantor em Ipanema, no Rio, enquanto fazia pesquisas para o filme "Somos Tão Jovens".

O cantor Renato Russo morreu em 1996 aos 36 anos, por causa de complicações provocadas pelo HIV.

*Com informações de Folha de S.Paulo

Mais Lidas