menu

Diabéticos de Serra Talhada são convocados para tratamento pioneiro contra a cegueira

Programa utiliza inteligência artificial no combate à cegueira

Projeto é considerado pioneiro em todo o nordeste
Projeto é considerado pioneiro em todo o nordeste (Foto: Cristiano Viana)

O número de pacientes diabéticos atendidos pelo projeto que usa inteligência artificial no combate à cegueira na cidade de Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco, está sendo ampliado. Implantado no final de 2019, na Unidade Avançada em Oftalmologia da Fundação Altino Ventura (FAV), no Alto da Conceição, o programa já atendeu diversos pacientes que tiveram o problema identificado em triagem realizada nas unidades de saúde da cidade. Na estreia do projeto cerca de 200 pacientes foram consultados pelos médicos especialistas.

Através do programa, uma equipe especializada realiza um exame de Retinografia, que é uma imagem do fundo de olho, nos pacientes. A análise é fundamental para um diagnóstico de Retinopatia Diabética. O programa acontece em uma parceria através da Secretaria Municipal de Saúde de Serra Talhada, o projeto funciona através da telemedicina, que age para identificar a retinopatia diabética nos pacientes do serviço. A doença é uma das principais causas da cegueira nos usuários. 

A Secretária de Saúde, Márcia Conrado, orienta que os pacientes devem procurar as unidades de saúde e fazer o cadastramento. “Nós estamos cadastrando os pacientes, realizando os exames necessários no Laboratório Municipal e agendando os atendimentos com a equipe especializada em oftalmologia que está atuando no projeto da Retinopatia Diabética. É importante que os pacientes procurem as unidades de saúde, façam o cadastramento e os exames para que sejam atendidos o mais rápido possível pelo projeto, uma tecnologia que está trazendo luz de volta à vida de tantas pessoas”, informou.

Os pacientes necessitam de exames de Glicemia e Hemoglobina Glicada (Hb A1c) p para o atendimento especializado, como reforça Aron Lourenço, secretário-executivo de Saúde.  “O paciente precisa fazer os exames de Glicemia, em jejum, e de Hemoglobina Glicada. A coleta é feita na unidade de saúde e o material encaminhado para o laboratório municipal. E já pensando em agilizar o processo de atendimento desses pacientes, a Secretaria de Saúde reservou uma cota de exames no laboratório para atender o projeto junto à Fundação Altino Ventura. E quanto aos pacientes que tiverem esses exames há menos de seis meses devem apresentar na unidade no ato do cadastramento”, explicou.

O projeto

O projeto “Uso de Inteligência Artificial no Combate à Cegueira por Retinopatia Diabética” é pioneiro no Nordeste e utiliza a telemedicina para identificar a retinopatia diabética, doença que é uma das principais causas da cegueira. A partir de uma imagem de fundo de olho, a retinografia, é possível fazer um diagnóstico e ampliar o acesso ao tratamento. A iniciativa da FAV utiliza o software Dart, cedido gratuitamente pelos chilenos criadores da tecnologia, Rodrigo Danoso, oftalmologista, e José Tomás Arenas, engenheiro elétrico e industrial.