menu

SJCC Interior realiza exposição do Centenário do Central

Cerca de 150 fotos fazem parte da exposição, que conta com 30 camisas e outros objetos com toda a história do Central

Estádio Luiz José de Lacerda, mais conhecido como ‘Lacerdão’, é a casa do Central e tem capacidade para mais de 19 mil pessoas.
Estádio Luiz José de Lacerda, mais conhecido como ‘Lacerdão’, é a casa do Central e tem capacidade para mais de 19 mil pessoas (Acervo/JC Imagem)

O Sistema Jornal do Commercio Interior (SJCC Interior) lança no próximo sábado (24) uma exposição em alusão ao Centenário do Central. O aniversário de 100 anos do time foi comemorado no dia 15 de junho deste ano. A inauguração da exposição será às 10h no Espaço de Exposições, no módulo amarelo do Polo Caruaru, no Agreste de Pernambuco.

Veja também

A exposição terá cerca de 150 fotos, 30 camisas e outros objetos com toda a história do Central, desde 1920 até os dias atuais. De acordo com um dos parceiros do evento, Cláudio Samuel, conhecido como "Gordo da Soparia", as imagens mostram o estádio logo no início, por exemplo, e momentos importantes do time, como a partida contra a seleção da Argentina. "Não vai morrer a história do Central porque o dia do aniversário passou. Espero que a receptividade seja boa. Isso aqui é minha vida", destacou.

Ex-jogadores como Jucélio, Patota e Paulinho, além de artistas como Humberto Bonny e Jucélio Vilela; o caricaturista Henrique Magno, o cordelista Jefferson; locutores de rádio, como Wilson Bezerra, Marco Moura e Batistão; políticos e outras autoridades confirmaram presença no evento.

A abertura da exposição terá ainda a presença dos comunicadores Roberto Queiroz e Maciel Júnior do Escrete de Ouro da Rádio Jornal, que apresentarão um programa direto do Polo Caruaru.

Para o curador da exposição, Walmiré Dimeron, a exposição ajuda a preservar não só a memória do time, como a história da cidade de Caruaru. "O Central faz parte do imaginário coletivo de Caruaru, preservar essa memória é muito importante. Alguns trechos dessa história nós não conseguimos recuperar, mas tudo que a gente levantou demonstra à sociedade a grandiosidade dessa equipe que está há 10 séculos crescendo junto com a cidade", explica.

A exposição funcionará das 9h às 18h, mesmo horário de abertura do Polo, de 24 a 31 de agosto. A visitação é gratuita.