menu

Goleiro Bruno é liberado para tirar tornozeleira eletrônica em jogos e treinos

Liminar autorizou retirada para exercer atividade profissional

Goleiro Bruno está atuando no Rio Branco-AC
Goleiro Bruno está atuando no Rio Branco-AC (Divulgação)

O goleiro Bruno Fernandes, que foi condenado a 22 anos por homicídio triplamente qualificado de Eliza Samúdio, foi liberado pela Justiça para jogar e treinar sem utilizar a tornozeleira eletrônica. O jogador do Rio Branco-AC teve a progressão da pena para o regime semiaberto domiciliar desde o segundo semestre do ano passado.

Bruno está usando a tornozeleira eletrônica desde a última sexta-feira (4), a pedido do Ministério Público do Acre. Com a liminar concedida pela Justiça, ele poderá retirá-la para exercer as atividades profissionais.

Após Bruno ser contratado pelo Rio Branco, o clube perdeu o principal patrocinador e a técnica do time feminino. O jogador tem um contrato de seis meses com o clube, para atuar no Campeonato Acreano, na Copa Verde e na Série D do Campeonato Brasileiro.

Relembre o caso

O goleiro Bruno foi condenado a 22 anos e três meses de prisão em 2010, pelo assassinato triplamente qualificado da modelo Eliza Samúdio. Ela foi sequestrada, morta e teve o corpo ocultado. Bruno nega ter sido o mandante do crime.