menu

Paratletas do Agreste e Sertão de Pernambuco são convocados para os Jogos Paralímpicos de Tóquio

Os pernambucanos se preparam para a disputa mundial e são destaque em suas categorias.

Jeohsah mora em Pesqueira e é o atual recordista brasileiro do salto em altura classe T44
Jeohsah mora em Pesqueira e é o atual recordista brasileiro do salto em altura classe T44 (Reprodução/Arquivo pessoal)

Na última terça-feira (6), o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), em conjunto com as respectivas Confederações das modalidades, anunciou os convocados para a delegação que representará o Brasil nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, que tem início no mês de agosto. Esta é a maior delegação convocada para uma edição fora do Brasil, com 253 atletas, e conta com 12 pernambucanos na equipe, entre eles paratletas e treinadores.

Cinco destes paratletas são do Agreste e Sertão de Pernambuco e são considerados referências em suas respectivas categorias. Entre os dias 12 e 16 de julho, será possível conferir uma série de reportagens especiais com estes representantes no NE10 Interior. Confira um breve resumo da trajetória de cada um deles:

Jeohsah Beserra - Atletismo

É o atual recordista brasileiro da prova de salto em altura classe T44. Pratica a modalidade desde 2012 e atualmente treina no quintal da própria casa na cidade de Pesqueira, no Agreste. Com apenas 16 anos de idade, Jeohsah, que nasceu com uma má formação congênita na perna esquerda, foi convocado para os Jogos Paralímpicos do Rio em 2016, foi o terceiro colocado no Parapan-Americano de 2017, em São Paulo, foi campeão do Mundial de Jovens na Suíça, com apenas 18 anos, e foi o segundo colocado no Grand Prix da Alemanha em 2018.

Evani Calado - Bocha

A paratleta da modalidade bocha, Evani Calado, é ouro por equipes da classe BC3 nos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Moradora da cidade de Garanhuns, no Agreste, ela teve paralisia cerebral por falta de oxigênio na hora do parto. Atualmente é um dos grandes nomes do esporte está na lista dos dez atletas representantes da modalidade que foram convocados para as Paralimpíadas de Tóquio.

Maria Carolina Santiago - Natação

A paratleta de Caruaru que integra a delegação dos Jogos Paralímpicos de Tóquio nasceu Síndrome de Morning Glory, alteração congênita na retina que reduz seu campo de visão. Carolina compete na categoria S12 (baixa visão acentuada). A caruaruense, que foi criada no Recife, foi um dos principais nomes do Open Loterias Caixa de Natação, em abril de 2019, em São Paulo. Ela conquistou quatro ouros nos Jogos Parapan-Americanos de Lima-2019 e dois ouros e uma prata no Mundial de Natação Paralímpica de Londres-2019.

Raimundo Nonato - Futebol

Paratleta convocado pela Associação Gaúcha de Futebol para Cegos, Raimundo é duas vezes Campeão paralímpico e duas vezes campeão mundial pela categoria Futebol de 5. Ele mora na cidade de Cabrobó, no Sertão de Pernambuco. Ele foi campeão em Londres, em 2012, e já concorreu ao título de melhor atleta paralímpico.

Samira Brito - Atletismo

Paratleta da Associação Petrolinense de Atletismo (APA), Samira, que tem 31 anos, também já foi Campeã Brasileira, Campeã Norte-Nordeste e a melhor atleta do Regional no ano de 2020. Samira atualmente é a 2ª colocada no ranking mundial dos 100 e 200 metros de atletismo na categoria T36-Paralisia Cerebral.