E o nosso verdadeiro forró, onde é que fica?

Por Dilson Oliveira
Por Dilson Oliveira
Publicado em 21/06/2010 às 10:49
NOTÍCIA
Leitura:

A ideia pode até ter sido excelente, mas convenhamos, esse Maior Baião do Mundo, está me cheirando a fole e zabumba furados; e a triângulo quebrado.

Como em pleno mês de junho, onde as fogueiras ardentes aquecem a noite da cidade, os rojões pipocam nos céus, o resfôlego da sanfona, o tilintar do triângulo e a batida da zabumba podem perder espaço para a MPB em sua noite maior?

O que sairão dizendo por aí os turistas que vierem passar a noite de São João na Capital do Forró?



É desprestigiar o forrozeiro nato, que passa o ano inteiro esperando o mês de junho para mostrar seu trabalho e faturar uma graninha extra; é pensar que o matuto é cabra besta mesmo; é querer acabar com as nossas tradições; e acima de tudo, render-se aos caprichos do eixo sulista, sem analisar as consequências.

Esperava eu, uma noite de São João com muito mais colorido e arrasta-pé, pois o que nos está sendo proporcionado é muito pouco para a grandeza da nossa festa.

Mesmo assim, como bom caruaruense que me considero, vou torcer para que eu esteja enganado, e que aqueles que nada têm a ver com a música nordestina possam nos surpreender no palco.

Mas, com todo respeito que merecem, noite de São João com Zélia Duncan, Elza, Soares, Paulinho Mosca, Ortinho e muitos outros que devem vir, eu nunca imaginei. Mas, por outro lado, Campina Grande agradece.

Aí eu pergunto: e o nosso verdadeiro forró, onde é que fica? Com a palavra os intelectuais da organização do Maior São João do Mundo, onde parece que os forrozeiros tradicionais perderam a vez, em seu dia principal.

Mais Lidas