Quem disse que em time que ganha não se mexe?

Por Dilson Oliveira
Por Dilson Oliveira
Publicado em 23/07/2010 às 8:28
NOTÍCIA
Leitura:

As últimas notícias em torno do primeiro escalão da administração municipal de Caruaru, no Agreste pernambucano, tem chamado a minha a atenção.

Enquanto muitos dançavam forró, durante o período junino, quem “dançou” pra valer mesmo foi o então Secretário de Gestão e Negócios Públicos, José Carlos Menezes, demitido sem muitas justificativas convincentes.

Agora, todos são pegos de surpresa, com a saída do engenheiro Francisco Beltrão, da pasta de Infra-estrutura e Políticas Ambientais, sob o pretexto de que ele vai dedicar todo o seu tempo para a Empresa de Urbanização, a URB.

Qual teria sido mesmo o real motivo do afastamento do engenheiro Kiko Beltrão da tão falada Secretaria de Infra estrutura e Políticas Ambientais?

Ora, todos sabem que Kiko Beltrão, como é mais conhecido, é homem de confiança do atual prefeito José Queiroz há muito tempo, desde gestões anteriores.

Mas, se goza de tanto prestígio, e se tem tantos projetos estruturadores para a cidade, porque tal mudança, logo agora, ainda na metade do governo?

À bem da verdade, é que para tantas promessas que foram feitas, e em quase dois anos de gestão, apenas a construção da Ponte Irmã Jerônima, já concluída, e a reforma da Praça do Rosário caminhando a passos de tartaruga, tenho que dizer que é muito pouco para a cidade.

Ou será que irão deixar tudo para última hora, para o último ano de gestão, no apagar das luzes, para se ter o pretexto de que é preciso “ter mais tempo para se trabalhar”?

Não sei se esses fatos são prenúncios de uma crise administrativa, mas tenho certeza que o que querem passar à opinião pública, é que em time que se ganha, se mexe, sim senhor.

O que muito se falou é que Caruaru, teria sido contemplada com R$ 17 mi, para recapeamento asfáltico, e o que se vê é a grita geral dos motoristas da cidade, caindo dentro dos buracos e crateras.

Os subterfúgios de agora são as chuvas, as obras da Compesa, a Companhia Pernambucana de Saneamento, mas nunca a morosidade do poder público.

Mas, voltemos ao caso. Qual teria sido mesmo o real motivo do afastamento do engenheiro Kiko Beltrão da tão falada Secretaria de Infra estrutura e Políticas Ambientais? Que deem outra justificativa, pois a alegada pela administração municipal não convenceu.

E daqui, meus votos de sucesso ao novo titular que vem aí para a pasta, o também engenheiro Severino Barbosa. Que ele consiga pelo menos acabar com a buraqueira da cidade! 

Mais Lidas