PRODUÇÃO

Vitória de Santo Antão ganhará nova indústria

Do Jornal do Commercio
Do Jornal do Commercio
Publicado em 27/09/2010 às 14:00
NOTÍCIA
Leitura:

A empresa pernambucana Carbo Gás, produtora de gás carbônico (CO2), está aplicando R$ 20 milhões em um plano de expansão. Os aportes irão viabilizar uma nova fábrica em Pernambuco, na cidade de Vitória de Santão, na Zona da Mata, e uma segunda planta na cidade de Linhares, no Espírito Santo. A unidade pernambucana começa a funcionar no final deste ano. Os aportes visam aumentar a oferta do produto no mercado, especialmente o chamado de grau alimentício, utilizado em bebidas e cujos principais compradores são as indústrias de refrigerantes.

Os aportes vão gerar poucos empregos, pois são voltados para o incremento tecnológico, aquisição de equipamentos, ampliação da frota de distribuição e de estruturas de armazenamento. Ainda assim, de acordo com o diretor executivo da Carbo Gás, Fernando Mota, serão criados 25 postos de trabalho, voltados para as áreas de pós-produção como transporte e venda. Em Pernambuco serão aplicados R$ 8 milhões para atingir a marca de 240 toneladas de CO2 fabricadas por dia em dezembro, um salto de 25% na capacidade de produção.

O produto é captado na destilaria de álcool do Grupo JB, a qual a empresa pertence. Chega na forma líquida e depois de transformado em gás segue para ser adicionado em refrigerantes, cervejas, espumantes e até extintores de incêndio.

Atualmente, a empresa detém 25% do mercado nordestino e é a maior produtora de CO2 da região. A primeira fábrica da Carbo Gás foi inaugurada em 2004. No final de 2010, seis anos depois, o grupo contará com três plantas só em Pernambuco. Até abril de 2011, serão cinco, se contabilizadas as duas em Linhares. Lá, a produção diária da empresa vai chegar a 180 toneladas de CO2.

“Passamos de uma produção inicial de 24 toneladas por dia para 432 toneladas/dia até próximo ano, sete anos depois. É o suficiente para atender a demanda até 2015. O mercado aquecido exige investimentos constantes”, destaca Mota. O capital para os investimento foi captado junto ao Banco do Nordeste e ao Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O plano de expansão estava delineado em 2008, pronto para ser iniciado, mas a eclosão da crise econômica mundial forçou um adiamento. Com o reaquecimento na demanda por CO2, a empresa se valeu de sua estrutura familiar, que, de acordo com o diretor executivo, permitiu a tomada mais rápida de decisões e a retomada dos investimentos. A Carbo Gás atua no mercado nordestino, parte do Norte, Centro-Oeste e Sudeste do País.

Mais Lidas