Time pernambuco poderá receber até R$ 2 milhões na Série B

NOTÍCIA
Leitura:

Um exemplo a ser seguido. Este é o Salgueiro Atlético Clube, time do Sertão pernambucano que ganhou notoriedade esta semana ao conquistar pela primeira vez uma vaga na Série B do Campeonato Brasileiro. O Carcará, como é conhecido, superou todas as expectativas e estará em um patamar superior a muitos clubes do país.

O time sertanejo disputou a Série C pela terceira vez consecutiva. Na primeira edição, em 2008, avançou na competição. Enquanto que adversários como Santa Cruz e Central, de maior tradição no Estado, ficaram para trás e acabaram rebaixados para a Série D de onde ainda não saíram. No campeonato deste ano, o Salgueiro por pouco não seguiu os passos dos colegas mais ilustres. Brigou até a última rodada contra o rebaixamento e acabou conquistando a vaga para a segunda fase.

Alvinegros e tricolores com muita inveja...

Ao bater o Paysandu no Pará carimbou o passaporte para a Segundona Nacional, por onde passaram recentemente Vasco, Corinthians, Palmeiras, Atlético-MG, etc. E onde figuram atualmente Sport e Náutico.

Este time sediado numa cidade localizada numa área conhecida como “polígono da maconha” tem apenas cinco anos de profissionalismo. No primeiro ano conquistou a Copa Pernambuco. Em 2007 foi campeão da Segunda Divisão Estadual e passou a figurar na elite do futebol pernambucano desde então. Ficou em quinto lugar em 2008. Em 2009 chegou em quarto. E em 2010 faturou o primeiro título oficial de Campeão do Interior.

Em tão pouco tempo o Salgueiro começa a fazer história. Mas qual o segredo deste time? Estrutura? Não. O estádio Cornélio de Barros, onde a equipe manda seus jogos, é Municipal e tem capacidade para apenas 6 mil torcedores. Seria o dinheiro? Nada disso. O Carcará tem uma das menores folhas salariais da Série C em torno de 60 mil reais mensais. Grandes jogadores? Nem tanto. Por lá passaram atletas que disputaram o campeonato pernambucano da primeira e da segunda divisão, dentre eles vários que vestiram a camisa do Central como Edu Chiquita, Fagner, Clebson, Rogério. Na patativa não deram certo, mas no Sertão, sim.

A humildade, a raça e a vontade de vencer foram os fatores decisivos que levaram o Salgueiro para a Série B. E o time ainda pode levantar a taça de Campeão da Série C, o que seria um feito ainda maior. O acesso pode representar dias ainda melhores para o carcará. Além dos R$ 20 mil doados pela Federação Pernambucana como prêmio e mais R$ 30 mil que virão em caso de título o Governo do Estado anunciou que destinará recursos para a reforma e ampliação do estádio salgueirense. Sem contar com os cerca de R$ 2 milhões que o clube deverá receber em cotas de televisionamento por disputar a Série B em 2011.

São feitos e fatos para deixar alvinegros e tricolores com muita inveja, mas que sirvam de lição para administrações destes clubes que com esforço e dignidade se pode chegar lugares altos. Parabéns ao Carcará que está voando longe.

Mais Lidas