Violência

Diretora de escola sofre traumatismo craniano ao ser agredida por pai de estudante

Wagner Gil
Wagner Gil
Publicado em 23/10/2010 às 22:12
NOTÍCIA
Leitura:

O que era para ser apenas uma reunião entre pai e professor, para melhorar o desempenho escolar de uma aluna, acabou numa agressão física em Caruaru, no Agreste do Estado. O fato ocorreu na tarde da última sexta-feira, na Escola Modelo Infantil Santa Joana, que funciona na Boa Vista II, na Cohab II.

A diretora da unidade, Maria Ladjane Araújo, 50 anos, foi empurrada por um pai de aluno, caiu no chão, bateu com a parte de trás da cabeça no calçamento e desmaiou na hora, deixando alguns estudantes em pânico.

O fato gerou muita confusão entre alunos que deixavam a escola, pais e funcionários. A vítima foi socorrida para a Policlínica do Vassoural, onde foi constatado traumatismo craniano. Ainda desacordada e com afundamento na nuca, a diretora foi transferida para o Hospital da Restauração (HR), onde foi verificado também que ela sofreu derrame no globo ocular. Segundo os médicos, a situação é delicada, mas estável. A paciente deve ficar em observação por, no mínimo, sete dias.

 

De acordo com testemunhas, o fato ocorreu por volta das 16h30, quando alguns pais já chegavam na escola para pegar os filhos. Quem presenciou o fato ficou horrorizado. “Era o horário da saída. Foi um drama; todos nós ficamos assustados com a atitude daquele homem. Ninguém conseguiu contê-lo”, disse a mãe de uma aluna, que presenciou a agressão.

“O homem não aceitava as reclamações de comportamento da sua filha e começou a agredir verbalmente a mãe da diretora, que é a professora da menina. Ela é uma pessoa muita dedicada à educação. São mais de 50 anos voltados ao magistério”, disse uma cabeleireira, que preferiu não ser identificada.

Na delegacia, as testemunhas disseram que o acusado, identificado pela polícia como Anitelácio Alves de Lima, foi abordado pela professora da filha, Maria das Dores Araújo, 75, na calçada da escola e, ao ser convidado para entrar, ele recusou-se e disse que ela poderia falar o assunto ali mesmo. “Quando a professora disse que a menina estava sem prestar atenção nas aulas e brincando muito, o pai chamou a professora de incompetente e burra”, contou uma tia de um aluno.

O motorista da van que transporta os alunos da escola e é filho da professora tentou acalmar o acusado, mas foi agredido fisicamente. Ao ver o filho apanhar, a professora começou a passar mal, foi quando alguns funcionários chamaram a diretora da escola, que também é filha da professora.

“Assim que ela (Maria Ladjane) chegou para ver a situação da mãe, foi empurrada e caiu no chão, batendo com a cabeça no meio-fio. Ele foi muito desproporcional, já que ela (a diretora) tem, aproximadamente, 1,55 m de altura e o agressor mais de 1,80 m”, disse outra vizinha, pedindo para não ter o nome revelado.

A delegada de plantão, Rita de Cássia, informou que, na manhã deste sábado, ouviu as principais testemunhas, mas não conseguiu intimar o acusado, que mora a pouco metros da escola. Segundo a delegada, o acusado poderá ser enquadrado por tentativa de homicídio por motivo fútil. O caso está registrado na 2ª delegacia de polícia e deve ser concluído pelo titular da área, Rodolfo Barcelar.

Mais Lidas