RELATÓRIO

Petrolina realiza mapeamento de áreas beneficiadas pela Operação Pipa

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 27/10/2010 às 16:01
NOTÍCIA
Leitura:

Agentes comunitários de saúde de Petrolina que atendem as áreas das localidades de Atalho, Baixa Alegre, Capim, Cristália, Pau Ferro, Ponta da Serra, Caititu, Rajada, Salinas e Uruás, realizam até esta quarta-feira (27),  um levantamento sobre a quantidade de pessoas que são atendidas pela Operação Pipa.

O objetivo da ação é repassar informações cada vez mais precisas ao Exército, que é responsável pela fiscalização do Programa de Distribuição  Emergencial de Água Potável no Médio São Francisco. Já na quinta (28), os agentes devem participar de um seminário na sede do 72º Batalhão de Infantaria Motorizado (72 BI).

“Os agentes vão passar o dia no quartel, onde iremos juntos participar de uma capacitação, fazer o levantamento dos dados, conferir listas, enfim, a ideia é aprimorar cada vez mais a prestação desse serviço”, enfatiza o comandante do 72 BI, tenente coronel Helveltius Marques.

“Esta operação Pipa é bem complexa e tem uma vertente que prevê o levantamento das pessoas que realmente precisam dessa água. Só que esses números são flutuantes: tem gente que acaba se mudando, alguns morrem, outros casam e ampliam a família, enfim. Por conta disso, resolvemos fazer um levantamento mais eficiente. E os agentes de saúde são grandes parceiros nesta atividade porque eles estão ali, sempre em contato com as mais diversas comunidades”, complementa.

Devem participar do seminário, além dos agentes de saúde, outros integrantes que compõem a Operação Pipa, a exemplo de representantes das prefeituras da região.

Repasse – De acordo com o comandante do 72 BI, há expectativas de que o repasse que é feito para o Exército para a contratação e pagamento dos carros-pipa utilizados na Operação, possa voltar a ser feito em sua totalidade.

“Em janeiro e fevereiro o repasse foi de 100%, em março, não houve, e de maio até outubro, o repasse foi feito com contingenciamento. Eu tive informações de que não vai mais acontecer isso, que o Ministério da Integração sinaliza que serão repassados todos os recursos necessários para atender à Operação Pipa”, destaca tenente coronel Helveltius Marques. “Isso é uma boa notícia, sem dúvida”.

Mais Lidas