FIM DE ANO

Fecomércio faz levantamento inédito da expectativa do comércio em Petrolina

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 08/11/2010 às 8:32
NOTÍCIA
Leitura:

Pela primeira vez a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Pernambuco (Fecomércio-PE) realiza um levantamento da expectativa do comércio em Petrolina, Sertão Pernambuco.

O estado levantou a expectativa para as vendas de final de ano tanto para os empresários, quanto para os consumidores. 87% dos empresários esperam vendas maiores do que o ano passado e os consumidores revelaram ter a intenção de gastar mais em 2010 do que no ano passado, algo em torno de 11%.

Esta sondagem de opinião dos empresários de Petrolina inicia a divulgação de um monitoramento sistemático do desempenho do varejo local, ampliando a área de pesquisa da Fecomércio, que já desenvolve estudos semelhantes na Região Metropolitana do Recife, Caruaru, Garanhuns e que também iniciou este ano o acompanhamento da cidade de Santa Cruz do Capibaribe.

A pesquisa detectou um ambiente de franco otimismo entre os empresários entrevistados em Petrolina. Cerca de 6 em cada 10 empresas esperam para este ano vendas maiores do que no ano passado, enquanto que menos que 2 entre 10 admitem que deverão diminuir. No shopping center o otimismo dos empresários é ainda maior do que no comércio tradicional, mas em ambas as áreas a expectativa é muito positiva com estimativa de crescimento de mais de 13% neste fim de ano em relação ao mesmo período em 2009.

Essa expectativa de bom desempenho apontada pelos empresários deverá rebater-se positivamente sobre o mercado de trabalho. Mais de 40% pretendem contratar mão de obra temporária, especialmente nos ramos de vestuário/tecidos, supermercados, calçados/acessórios e móveis/decorações. O número médio de empregos temporários é de 3,4 por empresa, sem diferença significativa entre as admissões nas duas áreas pesquisadas.

Entretanto, a intenção de efetivar parte da mão de obra contratada temporariamente é mais forte no shopping do que no comércio tradicional. Os dados levantados evidenciam uma previsão ainda mais otimista quando o foco é o comportamento dos negócios no próximo ano: mais de 87% esperam vendas maiores, contra pouco mais 2% que admitem queda.

Também nesse item, a confiança em bons resultados é maior no shopping, onde é esperado um aumento estimado no faturamento de 33%, e no comércio tradicional a expectativa é de aproximadamente 25%, de acordo com cálculos realizados.

“As empresas fundamentam seu otimismo em uma visão muito positiva do desempenho da economia nacional no próximo ano. Mais de 75% esperam aumento no consumo das famílias e crescimento no nível de emprego, enquanto 70% acreditam que o crédito continuará em expansão”, explica Luiz Kehrle, consultor da Fecomércio.

Para as empresas pesquisadas, esse quadro positivo não deverá ser perturbado por problemas de inflação ou inadimplência, já que a ponderação das respostas evidencia uma previsão média de relativa estabilidade dessas duas variáveis. A Fecomércio ouviu 279 empresários na segunda semana de outubro, 39 no shopping e 240 na área de comércio tradicional.

Mais Lidas