CENSO

IBGE destaca Toritama como menor cidade de Pernambuco com maior crescimento populacional

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 10/11/2010 às 10:30
NOTÍCIA
Leitura:

O crescimento econômico de Toritama é considerada a principal causa do crescimento populacional. Conhecida como a terra do jeans, o município superou todos os outros 183 de Pernambuco, além de Fernando de Noronha no censo 2010.

Por ano, a  população de Toritama aumentou 4,8% e alcançou 59% de crescimento em toda a década. De 21.800 habitantes no ano de 2000, a população da cidade chegou a 34.938 em 2010 até agora, todo esse crescimento populacional se deve a vinda de pessoas de outras cidades e estados atraídas pela produção de jeans e investem na potencialidade do município.

\"A cidade tem uma importante economia da região e tem também a BR 232 que só aumenta o crescimento e é possível que o número chegue a 35 mil\", relatou Paulo Salvador, coordenador do IBGE em Toritama.

Foi a visão de boa economia que fez com que uma construtora da capital pernambucana investisse na região. Há pouco mais de um ano, 50% dos 300 lotes de um condomínio clube que fica às margens de BR 104 já foram vendidos.

São mais de 200 mil metros quadrados ao dispor daqueles que moram ou pensam em se mudar para Toritama. \"Foi uma visão futurista, há cinco anos os donos da construtora fizeram uma pesquisa e perceberam que o crescimento dessa região ia acontecer em breve, pela duplicação de BR e pelas fábricas que estavam crescendo muito\", falou Elenir Nichel gerente de vendas do condomínio.

Toritama não atrai só investidores, muita mão de obra também vem de fora. \"Eu sou de São Paulo, estou aqui há dois anos. Eu vim a passeio e trabalhei no fim de ano, ganhei um bom dinheiro e resolvi ficar aqui\", contou a vendedora Janine Dyane.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico de Toritama, 80% dos investidores são de fora e o crescimento é inevitável, uma explosão demográfica em uma cidade que tem a menor extensão territorial do Estado.

\"Muitas pessoas vêm trabalhar e depois terminar se mudando para cá por conta das oportunidades de emprego e de crescimento, mas a cidade já está ficando pequena pra tanta gente\", concluiu Nieliton Martins.

Mais Lidas