Federação Pernambucana de Futebol quer sugar força de jogadores

Por: Eliaquim Oliveira
Por: Eliaquim Oliveira
Publicado em 15/11/2010 às 9:34
Leitura:

O Campeonato Pernambucano de 2011 ainda nem começou e já causa polêmica. A Federação Pernambucana de Futebol divulgou no fim de semana a tabela da competição. O formato é o mesmo deste ano.Doze times jogam em turno e returno. Os quatro melhores passam às semi-finais e disputam partidas de ida e volta. Os vencedores fazem a final do campeonato. Até aí tudo bem. O problema é a quantidade de jogos marcados em poucos dias.
 
Para conferir a tabela clique aqui .
 
A tabela prevê que as primeiras sete rodadas aconteçam em um período de 15 dias. É quase um jogo a cada dois dias, o que fere as Normas Orgânicas do Futebol Brasileiro que determinam um intervalo mínimo de 66 horas entre um confronto e outro. O detalhe é que todos os clubes assinaram uma ata dando “compreensão” e uma simples autorização especial da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pode evitar transtornos nos tribunais.
 
Nos cinco primeiros dias da competição, a tabela prevê três rodadas. O Náutico, por exemplo, estreia em casa diante do Petrolina num domingo, viaja para enfrentar o Araripina na terça-feira e viaja novamente para enfrentar o Salgueiro na quinta-feira. Já o Sport estreia em casa no domingo contra o América, depois viaja a Petrolina para enfrentar os donos da casa na terça-feira, e na sexta joga com o Ypiranga em Santa Cruz do Capibaribe.
 
O Central terá uma vida mais tranquila nas primeiras rodadas. Joga no domingo em Santa Cruz com o Ypiranga e depois tem duas partidas em casa na terça e na quinta, respectivamente contra Salgueiro e Petrolina.
 
A folga para os clubes só deve vir entre a sétima e a oitava rodadas, quando os times terão cerca de 90 horas de intervalo entre um compromisso e outro. Depois disso, a competição passa a apresentar duas rodadas por semana. Só não haverá partidas nos meios de semana quando Sport, Náutico e Santa Cruz atuarem pela Copa do Brasil.
 
O aperto no calendário pernambucano acontece em decorrência da desobediência da FPF em relação ao espaço concedido para os Estaduais. A CBF determina em seu cronograma 23 datas para as competições locais, mas novamente o Campeonato Pernambucano será disputado em 26 datas.
 
Para piorar, tem o Carnaval, onde a Polícia Militar solicita a paralisação da competição porque precisa concentrar esforços para cuidar da segurança durante a folia. Este ano, o Pernambucano vai parar no dia 27 de fevereiro e só vai voltar no dia 9 de março, na Quarta-Feira de Cinzas, com a abertura da 15ª rodada.
 
A tabela é, no mínimo, desumana, tanto para jogadores como também para torcedores. Quem vai aguentar uma maratona de jogos do time nesse ritmo? O que se prevê são estádios vazios nestas primeiras rodadas e jogadores exaustos em campo. Isso quando estiverem em campo, já que, praticamente sem tempo para treinar, só jogando, ficam mais suscetíveis a contusões.
 
Nosso futebol já não anda lá essas coisas. O nível de qualidade deixa muito a desejar. Com Federação e clubes desrespeitando torcedores e os próprios atletas fica difícil imaginar que a próxima temporada será melhor que a atual.


Mais Lidas