O Hexa que ainda é luxo pode virar lixo?

Por Eliaquim Oliveira
Por Eliaquim Oliveira
Publicado em 29/11/2010 às 12:55
Leitura:

O fim de semana marcou a despedida dos times pernambucanos da temporada 2010. Náutico e Sport se despediram com derrotas da Série B do Brasileirão, e o Santa Cruz levantou o tri da Copa Pernambuco. No fim das contas ninguém tem o que comemorar.

O Náutico escapou por pouco do rebaixamento para a Série C. O Sport rondou a zona de queda por várias rodadas, depois se recuperou, mas no final não conseguiu o retorno à Série A. E o Santa Cruz, coitado, ainda amarga o ostracismo da Série D. Mais um ano e o time permanece bem longe da elite se contentando apenas com um título de uma competição fraca, sem renda, semi-amadora.

Pois é, 2010 não foi nada bom para o futebol de nosso estado. O alerta já havia sido dado no começo do ano com o baixo nível técnico apresentado durante o estadual, conquistado pela quinta vez pelo Sport. Em 2011 o Leão pode igualar o maior orgulho do Náutico: o Hexacampeonato conquistado entre os anos de 1963 e 1968, algo que ninguém tem no estado.

Por duas vezes o Timbu evitou que os rivais chegassem à marca de seis títulos seguidos. Primeiro foi o Santa Cruz que ganhou o pernambucano entre 1969 e 1973. O Náutico venceu em 1974. E depois o Sport levantou a taça entre 1996 e 2000 e teve a sequência interrompida em 2001 pelos alvirrubros no ano do centenário do time dos Aflitos.

Ao que tudo indica, pelo menos até agora, a façanha não deve se repetir. Mesmo sem apresentar um futebol de qualidade o Sport foi a equipe do estado que apresentou um nível melhor, para não dizer menos ruim no estado. Se Náutico e Santa não se reforçarem bem, a hegemonia rubro-negra será mantida e aquilo que um dia foi “luxo” poderá virar “lixo”.


Mais Lidas