Caixa econômica

Homem é preso por tentar sacar dinheiro com documentos falsos em Carpina

Do JC Online do JC Online
Do JC Online
do JC Online
Publicado em 03/12/2010 às 10:07
Leitura:

Um homem foi detido no início da tarde dessa quarta-feira (1) acusado de tentar sacar dinheiro fraudulentamente na agência na agência da Caixa Econômica Federal (CEF) de Carpina, na Zona da Mata pernambucana. A prisão do técnico de comunicações Severino Nunes Viana, 40 anos, aconteceu depois de uma suspeita dos funcionários da CEF. Eles desconfiaram porque o homem realizou um saque no valor de R$ 5 mil no dia 29 de novembro e retornou no dia seguinte para realizar outro saque com uma cédula de identidade diferente da anterior.

Já sabendo da fraude, o gerente da agência orientou o suspeito a voltar à tarde para fazer o saque. A Polícia Militar foi acionada para efetuar sua prisão no momento em que retirasse o dinheiro. Ao retornar à agência e efetuar o saque no valor de R$ 4.600, o homem foi detido.

Depois de confirmado o crime, os policiais se dirigiram para um escritório onde estariam outros envolvidos no delito. Lá chegando, encontraram um casal, e depois de uma busca minuciosa acharam vários documentos que supostamente eram usados para a falsificação.

Tanto o casal como o suspeito foram conduzidos para a Superintendência da Polícia Federal no Recife. O casal foi ouvido e liberado, pois sua participação na fraude não foi comprovada. De acordo com a PF, o imóvel onde eles estavam tem uma sala que era alugada a um homem identificado apenas como João, onde foi encontrada toda a documentação apreendida.

Severino foi autuado por estelionato e, caso seja condenado, pode pegar uma pena de 1 a 5 anos. Também foram apreendidos um aparelho celular, quatro carteiras de identidade, seis cartões de crédito, várias fotografias, cinco discos rígidos, diversos documentos e R$ 4.600.

O preso foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), onde se submeteu a exame de corpo de delito, e em seguida foi encaminhado para o Centro de Triagem (Cotel) de Abreu e Lima, onde ficará à disposição da Justiça Federal.


Mais Lidas