DENGUE

Gravatá surge como modelo no combate à dengue

Do JC Online do JC Online
Do JC Online
do JC Online
Publicado em 15/12/2010 às 11:17
Leitura:

No que diz respeito à saúde, os gravataenses estarão mais bem cuidados com a implantação do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), programa do governo federal em parceria com a prefeitura, apresentado há duas semanas, que consiste na melhoria do atendimento oferecido pelos 20 postos de saúde do município.

Além disso, a cidade aparece no ranking do governo estadual entre as que apresenta menor índice de infestação da doença. Os números do Plano Nacional de Combate a Dengue, divulgados este mês, apontam que Gravatá mantém apenas 1% de infestação da doença. Isso indica que o município está fora dos padrões de risco que atingem outras cidades pernambucanas – como Bezerros, Afogados da Ingazeira, Camaragibe, Floresta e Serra Talhada. “Estamos trabalhando para deixar a dengue sob controle. Em janeiro, vamos fazer um dia municipal de combate à dengue, um trabalho educativo que vai envolver a população”, comenta o secretário municipal de saúde, Jorge Eduardo.

Ainda segundo o secretário, a prefeitura tem lançado mão de outras estratégias, como carros fumacê (que espalham bactericidas que combatem o mosquito transmissor) e a coleta de pneus velhos por parte da vigilância ambiental. “Nós realizamos constantemente mutirão nos bairros, na zona rural e cumprimos a tabela de visitas nas residências a cada dois meses”, completa Jorge.

No prazo de 60 dias, os moradores recebem pelo menos uma visita do agente de endemia, de acordo com Jorge Eduardo. Além de orientar a população sobre o combate ao mosquito, o profissional verifica reservatórios de água e fornece informações quanto aos perigos da doença. E com a aproximação do verão, o secretário alerta que os cuidados devem ser redobrados. “As pessoas não devem perder a atenção, principalmente com a chegada dos meses mais quentes do ano. Temos que ficar alertas porque agora começa a época mais perigosa”, reforça.


Mais Lidas