DENÚNCIA

Advogado de PMs presos no Sertão é ameaçado de morte

Luiz Carlos Fernandes
Luiz Carlos Fernandes
Publicado em 20/12/2010 às 9:46
Leitura:

O advogado da Associação Pernambucana de Cabos e Soldados (ACS) Adalberto Gonçalves de Brito Júnior revelou nesse domingo (20) a Rádio Web Correio do Vale, que recebeu uma ligação anônima por volta do meio dia da sexta-feira (17), na qual dizia que ele se afastasse urgentemente do caso dos PMs Renato Márcio Gomes de Menezes e Willian do Prado Barbosa, presos na última quarta-feira, dia 15, acusados de tortura em Afogados da Ingazeira, no sertão pernambucano.

De acordo com o advogado, ao atender um telefonema sem identificação ouviu uma voz masculina dizer: “Você sabe o que é um enxú (sic) de abelha, você mexeu com um, saia fora ligeiro do caso, se não vai sobrar para você, o senhor pegou uma bomba”. Após a ligação anônima, o advogado foi à delegacia de Polícia Civil da cidade de São José do Egito para denunciar a possível ameaça de morte.

Ainda segundo ele, está atuando apenas na defesa dos policiais militares Wilian Barbosa e Renato Márcio. Para o ele, essa ameaça via telefone é uma atentado contra o exercício da profissão de advogado. “Querem retaliar o nosso trabalho, por este motivo estou oficiando a Ordem dos Advogados da Brasil (OAB), com sub sede em Afogados da Ingazeira para que tome as providências legais cabíveis, por se tratar do interesse da classe”, desabafou.

De acordo com o presidente da Associação de Cabos e Soldados Renilson Bezerra, os dois policiais militares são associados, por isso têm o direito de serem acompanhados por advogados da entidade e até que seja provado o contrário para associação eles são considerados inocentes.


Mais Lidas