INVESTIGAÇÃO

Ministério Público analisa documentos que apontam irregularidades em Araripina

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 03/02/2011 às 16:24
NOTÍCIA
Leitura:

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) enviou ao Ministério Público de Pernambuco os documentos que apontam erros na prestação de contas da prefeitura de Araripina, Sertão pernambucano. 

A documentação foi enviada ao MPPE com base em indícios de que ocorreram saques irregulares na \"boca do caixa\" pelo tesoureiro e pelo chefe de gabinete do prefeito Luiz Wilson Ulisses Sampaio, além de depósitos no valor de R$ 457.910,60 na conta corrente de Diego Anderson Marques Torres, filho do tesoureiro. Não houve nenhuma justificativa plausível para esses depósitos além de não ter indicativo da destinação dos recursos.

Foram apontadas como irregulares também os pagamentos em dinheiro por parte da Secretaria de Educação à uma empresa contratada para prestar serviços de transporte escolar, pagamentos sem entrega de mercadorias e ainda não comprovação de serviços prestados.

As acusações ainda incluem o pagamento excessivo para abastecimento de combustível, indícios de pagamentos de despesas com utilização de terceiros, processamento de despesas sem observância das normas legais, irregularidades na Carta Convite para a contratação de serviços contábeis e inexigibilidade de licitações para contratação e apresentação de artistas.

A Inspetoria de Petrolina, também no Sertão, e a representação do Ministério Público de Contas já haviam solicitado em setembro de 2010 uma Medida Cautelar que tratava sobre as irregularidades identificadas na prefeitura de Araripina.

Mais Lidas