INVESTIGAÇÃO

Aposentada pode não ter sido assassinada, diz polícia

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 11/03/2011 às 9:38
NOTÍCIA
Leitura:

O JC Online conversou por telefone na manhã desta sexta-feira (11), com o delegado Alberes Costa que está investigando o caso da aposentada Caetana Filha da Silva, 53 anos, encontrada morta nessa quinta (10), dentro de casa no Sítio Agreste do Mingu em São Caetano.

As primeira informações davam conta de que o marido da aposentada, Edvaldo José de Melo, 43 anos, seria o principal suspeito do crime. Alguns vizinhos da vítima informaram que ele ficava violento quando bebia e que dessa vez o pior teria acontecido.

No entanto, essa versão pode ser descartada. Ao menos é o que adiantou o delegado depois de ouvir Edvaldo José, e o primo da vítima, Severino Pedro dos Santos, 51, que encontrou a aposentada morta. A polícia agora investiga a hipótese de que Caetana Filha teria sofrido um ataque epilético. A pancada na cabeça da vítima pode ser explicada pela queda e não por pauladas, como acreditava-se inicialmente.

Enquanto as investigações continuam, o delegado Alberes Costa aguarda o resultado dos exames realizados no corpo da aposentada, pelo IML Caruaru.

Mais Lidas