DENÚNCIA

Ministério Público pede interdição de asilo no Agreste

Do NE10
Do NE10
Publicado em 25/04/2011 às 13:00
NOTÍCIA
Leitura:

O Ministério Público de Pernambuco, através do promotor de justiça Garibaldi Cavalcante Gomes da Silva recomendou que a instituição Vila São Vicente de Paulo, de Limoeiro, no Agreste do Estado seja interditada em 30 dias. O local funciona como um asilo na cidade.

Segundo o promotor, a decisão foi tomada depois de ser constatada a precariedade do local. Ainda segundo Garibalde foi verificada a má conservação das casinhas onde os idodos ficam e a total falta de estrutura para cuidar dos idosos.

“O funcionamento é muito precário. Falta manutenção, limpeza e higiene. As casas estão infestadas de cupim e a estrutura está comprometida, comprometendo também a saúde e integridade física dos idosos”, explicou Garibaldi Cavalcanti.

Além disso, o promotor também comprovou que existe apenas uma funcionária para cuidar dos idosos. Também foi verificado que não existe qualquer atividade educacional, esportiva, cultural ou de lazer, nem existe no quadro de funcionários pessoa com formação específica para cuidar dos idosos, ou profissional de saúde. “Se eles conseguirem se adequar nesses 30 dias, não será necessária a interdição, mas infelizmente, não vejo perspectiva de melhoramento, parece que os responsáveis estão mais interessados em manter a posse do local, do que cuidar de maneira apropriada dos idosos que abrigam”, denuncia Garibaldi.

Atualmente a instituição é mantida pela Sociedade Vicentina e atende oito idodos. O promotor já recomendou que os responsáveis pelo abrigo providenciassem a transferência das pessoas atendidas para suas famílias, ou outros estabelecimentos de abrigamento.

Mais Lidas