Time precisa desenterrar cabeça de burro para ser campeão

NOTÍCIA
Leitura:

Começo esse artigo sabendo que poderei despertar a ira de vários alvinegros, mas lembro desde já que também sou torcedor do Central. Não apaixonado como muitos que se cegam e não vêem os problemas do clube, mas torcedor realista que enxerga as falhas e clama por melhorias.

Nesta quarta-feira (15) o Central Sport Club completa 92 anos de existência. Quase um século de história e nenhuma grande alegria para os heróicos centralinos. O time que desperta paixão ao mesmo tempo faz com que a raiva venha à tona com as seguidas decepções do time em campo.

O Campeonato Pernambucano deste ano foi um belo exemplo. Depois de terminar o 1º turno na liderança e ser apontado como um dos favoritos ao título até hoje inédito a equipe desandou, perdeu várias partidas seguidas, e classificação para as semifinais e para a Série D, que parecia certo, foi por água abaixo. Mais uma vez a patativa quebrou a asa e morreu em pleno vôo.

Não há o que comemorar, a meu ver, neste dia que lembra que há 92 anos nascia um dos times de futebol mais queridos de Pernambuco, o que tem a maior torcida do interior e é o segundo no coração de tricolores, rubro-negros e alvirrubros. Tem que se olhar para o futuro para não se repetir os erros de 92 anos passados.

Até hoje o título mais “importante” da Patativa é o Estadual da Série A2, a segunda divisão, da qual nem deveria ter participado, mas foi rebaixado da elite. O time que em 1995 esteve à beira de sua maior glória, voltar à Série A Nacional, despencou pelas divisões e sequer garantiu vaga na Série D, a quarta divisão.

A diretoria até pensa em inovar, construir um novo estádio, a Arena Central, onde seria construído um Centro de Treinamento para o profissional e onde a base seria valorizada (algo que no Porto existe faz tempo) além de oferecer área de lazer para os sócios.

Mas de quem será a culpa de tanta má sorte do Central nestes mais de 90 anos de existência? Dirigentes? Atletas? Torcedores? Poupo só a torcida que, em sua grande maioria, sempre fez sua parte indo a campo e apoiando o time.

Sem atividades no segundo semestre a diretoria deve reformar o gramado do Lacerdão. E precisa mesmo já que aquilo ali está uma desgraça. Que o digam as equipes da capital que vieram jogar aqui.

Aliás fica a sugestão: já que vão reformar o gramado aproveitem para procurar a danada da cabeça de burro que deve estar enterrada ali, porque só isso explica essa “sem-vergonhice” do Central ao longo dos anos. Vai ter azar assim lá na China.

Enfim, repito, vamos esquecer o passado e olhar para o futuro. Torcer por dias melhores rondando os ares alvinegros. Afinal a torcida tão sofrida e machucada merece ter um time respeitável.

Aos alvinegros verdadeiros os nosso parabéns, porque tanta fidelidade assim é de impressionar.

Mais Lidas