APREENSÃO

Polícia apreende oxi e leva 8 pessoas presas no Sertão

Do NE10
Do NE10
Publicado em 30/06/2011 às 10:00
NOTÍCIA
Leitura:

Uma pedra de aproximadamente 40 gramas de oxi foi apreendida durante operação Polígono de Pedro Baiano, desencadeada por policiais lotados no 5º Batalhão da PM, em Petrolina, Sertão do estado. Seria a primeira apreensão da droga na região de Pernambuco.

A ocorrência contou com o apoio da Polícia Civil. Ao todo, oito pessoas foram presas: Mariele Mendes de Lima, 22; Manoel de Sales Coutinho, 31; José Carlos Dantas, 24; José Luiz da Silva Junior, 19 e Ronaldo de Souza Santos, 28, conhecido como Cojak e apontado pela polícia como sendo o líder da quadrilha. Estas pessoas, além de uma menor, são acusadas de tráfico de drogas.

Ainda dentro da operação, foram presos José Nilson da Silva, 58, e uma senhora cujo nome não foi repassado pela polícia. O homem é acusado de porte ilegal de arma de fogo. Após autuação em flagrante, todos foram encaminhados para o presídio Dr. Edvaldo Gomes.

''Já havíamos recebido informações sobre o Ronaldo de Souza há cerca de um ano e começamos a monitorá-lo há um mês. No início de junho nós prendemos um usuário que havia comprado drogas a ele e esta pessoa foi repassando algumas informações para a polícia. Montamos a operação e conseguimos apreender esta droga, armas e as pessoas envolvidas'', explica o oficial de Relações Públicas do 5o Batalhão da PM, capitão Marcos Costa.

A ação se desenvolveu em várias partes da cidade, a exemplo do núcleo 10 do projeto de irrigação senador Nilo Coelho e dos bairros de Areia Branca e Dom Avelar. Na operação foram apreendidos dez quilos de cocaína, cerca de R$ 3 mil em espécie, 1 pistola calibre 380, 3 revólveres calibre 38, 1 rifle calibre 22, 1 espingarda retro carga e vários cheques totalizando a quantia de R$ 25 mil.

''Foi a maior apreensão de cocaína neste ano realizada pela PM aqui em Petrolina. Chama atenção também o fato de termos apreendido uma pedra de oxi. É preocupante porque é uma droga mais barata do que o crack, mais acessível e que tem um maior poder destruidor. Vamos continuar intensificando o combate ao tráfico aqui em nossa área de atuação, contando obviamente com a parceria de outros órgãos de segurança pública'', reforça o oficial.

Mais Lidas