Goleiro do Sport merece ser banido do futebol?

NOTÍCIA
Leitura:

A cena rodou os noticiários esportivos e policiais de todo o país. A voadora dada pelo goleiro do Sub-20 do Sport Gustavo Pereira na nuca do volante vascaíno Elivelton durante partida na Taça BH de Futebol foi para nenhum fã do jogo Mortal Kombat botar defeito. Já apelidaram o cara de ''Sub-Zero'', em alusão ao personagem dos games que aplicava voadoras certeiras.

As imagens são fortes e mostram a covardia do atleta que sem nenhum motivo agrediu o colega. Sem perder tempo o Sport anunciou o desligamento do atleta. Depois anunciou que disponibilizará para ele apoio psicológico.

Nas redes sociais Gustavo foi massacrado. Muitos pediram até a exclusão dele do esporte bretão. Mas não é bem assim que a banda toca.

Em primeiro lugar o goleiro carateca tem apenas 18 anos. Jovem que tem uma vida inteira pela frente. Errou? Sim, e feio. Mas como todos, merece uma segunda chance, ser punido, aprender com a besteira que fez e dar a volta por cima para ser lembrado pela qualidade técnica debaixo das traves e não pelos golpes desferidos no esporte errado.

O futebol já cansou dos bad boys que só arrumam confusão em campo. O ex-atacante Edmundo coleciona uma série de pancadarias na época em que jogou no Palmeiras. Esmurrou vários jogadores e até um cinegrafista no Equador foi vítima da raiva do ''Animal''.

Somos seres humanos e sujeitos ao erro, falhos. Leonardo, hoje técnico, teve uma carreira exemplar, mas manchada na Copa do Mundo de 1994. Nas oitavas de final contra os Estados Unidos ele soltou o cotovelo na cara de Tab Ramos. Foi expulso, ficou de fora do resto da competição e continuou jogando bola em alto nível sem nunca mais ter se envolvido em outras confusões.

Gustavo pode ter a chance de seguir uma carreira brilhante pela frente ou cair no esquecimento sendo lembrado apenas pela voadora assassina. Depende dele e dos que o cercam.

E você? O que acha? Aproveita e deixa seu comentário!

Mais Lidas