Disputa no Brasileirão é marcada pelo equilíbrio

Por  Eliaquim Oliveira
Por Eliaquim Oliveira
Publicado em 24/08/2011 às 9:55
NOTÍCIA
Leitura:

“O Campeonato Brasileiro é o melhor do mundo”. Dizem os ufanistas comentaristas esportivos que enchem nossas tv’s, revistas e jornais especializados no assunto. Não é bem assim. Segundo ranking da Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS), o Brasileirão ocupa a 3ª posição, atrás de Espanha e Argentina e á frente de ligas milionárias como da Inglaterra, Itália e Alemanha. Os critérios baseiam-se na competitividade da disputa e, cá entre nós, aqui no Brasil ela é intensa.

Que campeonato no mundo tem tantos times com chances de levantar a taça como por aqui? São 16 campeões nacionais em toda a história. 14 deles disputam a atual Série A, a elite do futebol. Uma prova desse equilíbrio é a edição atual. O primeiro turno está prestes a acabar e ainda não dá para dizer quem é o grande favorito ao título.

 Apenas três pontos separam o líder Corinthians do 4º colocado, o Vasco. O Timão lidera com 37, seguido de Flamengo (35), São Paulo e Vasco (34 pontos cada). Ainda tem o Botafogo que vem chegando com 31. Não há nada definido ainda, mas a disputa promete ser acirrada até o fim.

 Aponto dois destaques nesse Brasileirão. Um positivo e outro negativo. Vasco e Santos. Ambas equipes que já estão garantidas na Libertadores em 2012, a primeira por ter vencido a Copa do Brasil e a outra por ter ganho a competição continental. Reza a tradição que time que garante vaga na Libertadores do ano seguinte relaxa no Brasileirão. O time da Vila Belmiro tem feito isso. Com maus resultados e várias derrotas ocupa a parte baixa da tabela e por muitas rodadas figurou na zona de rebaixamento.

 Já o Vasco, que tirou das costas 11 anos sem títulos ao conquistar a Copa do Brasil, briga lá ponta por mais um triunfo nacional. Mesmo garantido na Libertadores, o time não relaxou e quer mais uma taça. Afinal, vaga não vale nada, o que vale mesmo é o título, apesar de muitos torcedores ficarem satisfeitos com uma mísera participação continental.

 Ainda há vinte rodadas pela frente e com certeza emoção é o que não vai faltar neste Brasileirão.

Mais Lidas