homicídio

Acusado de ameaçar testemunhas do caso Manoel Mattos é preso em Itambé

Do NE10
Do NE10
Publicado em 12/09/2011 às 11:17
NOTÍCIA
Leitura:

Agentes do Departamento de Homídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam, no último sábado (10), Antônio Gomes da Silva, de 59 anos, acusado de ameaçar testemunhas do assassinato do advogado Manoel Mattos, ocorrido em janeiro de 2009.

O homem foi encontrado no município de Itambé, último antes da divisa com o estado da Paraíba. Ele faz parte de um grupo de extermínio que atua desde 1986, e, de acordo com investigações, já praticou cerca de 210 homicídios. Desses inquéritos, 164 já foram concluídos. O acusado confessou estar envolvido em 25 assassinatos do total atribuído ao grupo.

Com atuação desde a década de 80, eles inicialmente se consideravam 'justiceiros' por matar somente pessoas envolvidas com crimes. Mas, nos últimos tempos o bando aceitava dinheiro em troca da eliminação de qualquer vida, sendo um motivo 'justo' ou não. A quadrilha inclui 12 homens, sendo 10 deles já identificados e apreendidos pela Polícia. Dois ainda se encontram foragidos.

Antônio Gomes da Silva já se encontra no presídio do município de Limoeiro, em Pernambuco, e está à disposição da Comarca de Itambé. Pelo motivo do caso Manoel Mattos ser investigado pela Polícia Federal da Paraíba, ele pode ser transferido para uma unidade de ressocialização do Estado.

O acusado já teria cumprido 10 anos de pena pelo crime de homicídio, mas, no regime semi-aberto fugiu da cadeia e iniciou as ameças. Uma das vítimas do homem seria a promotora Rosemary Souto Maior, que também faz parte das investigações da morte.

O CASO - Manoel Mattos, que era vice-presidente do PT Pernambuco, foi assassinado a tiros no dia 24 de fevereiro de 2009 em uma casa de veraneio da Praia de Pitimbu, na Paraíba. Ele estava com a família quando dois homens encapuzados entraram na residência e atiraram várias vezes contra o advogado

Mais Lidas