Lajedo

Polícia conta com ajuda da população para achar responsável por chacina

Daniel Guedes
Daniel Guedes
Publicado em 18/10/2011 às 14:24
NOTÍCIA
Leitura:

LAJEDO - A polícia conta com a população de Lajedo - a 196 quilômetros do Recife - e dos municípios vizinhos, no Agreste de Pernambuco, para encontrar Luiz Lopes da Silva Neto, 41 anos, o Luizinho, acusado de matar a ex-companheira, três crianças e estuprar uma delas, a própria filha dele. A chacina que aconteceu na madrugada desta terça-feira (18) chocou e revoltou os moradores de toda a região. Policiais de Lajedo, Caruaru, Garanhuns, Belo Jardim, Arcoverde e Recife estão envolvidos na busca do homem que já cumpriu pena por tentar matar uma outra companheira em São Paulo.



Delegado Altemar Mamede (Fotos: Daniel Guedes/Blog de Jamildo)

O delegado titular de Lajedo, Altemar Mamede, à frente da delegacia há três anos, disse nunca ter visto um crime tão bárbaro e está comandando as diligências. 'Há relatos que ele vinha à casa da senhora tentando manter relações sexuais com ela, que sempre resistiu. Ele também teria ciúmes do atual companheiro dela', relatou Mamede. Ele está divulgando fotos do suspeito e pede que quem tiver informações entre em contato com o número 190, com o Disque-Denúncia, através do telefone (81) 3719.4545, com a delegacia de Lajedo, (87) 3773.4909, ou com o Batalhão da Polícia Militar na cidade, (87) 3773.4711.

» LEIA MAIS: Homem mata ex-companheira, estupra filha e afoga duas crianças em Lajedo

Luiz Lopes é acusado de estuprar e matar por estrangulamento a própria filha, Fernanda Lopes Silva, 8 anos. A garota foi encontrada sem roupa em cima do sofá, apresentando, de acordo com a perícia, sinais de violência sexual. As duas outras crianças, João Vitor Ferreira da Silva, 1 ano e 6 meses, e Nayane Keliane Ferreira, 3, foram afogadas em um balde d'água. Elas não eram filhas do suspeito. A perícia acredita que a primeira vítima foi a mãe dos jovens, Rosilene Hermínia da Silva, 32. 'Encontramos a porta da casa aparentemente forçada. Era uma cena de terror. Os corpos já estavam num estado de rigidez que aponta que o crime foi cometido há, no mínimo, seis horas. A mãe das crianças não apresentava sinais de estupro. Foi morta com facadas na cabeça, no quarto, e arrastada para a sala', detalhou a perita do Instituto de Criminalística (IC) Yeda Núbia de Sá Araújo, que veio do Recife.

No interior da casa, havia marcas de sangue na cama e no chão. No sofá rasgado onde Fernanda foi assassinada, havia roupas da menina. A faca utilizada pelo assassino não foi encontrada.


Tonel onde as duas crianças foram afogadas

Os corpos foram encontrados por um dos irmãos de Rosilene, o pintor de paredes Edvaldo da Silva, 28. Ele chegou à casa da irmã por volta das 6h, como sempre fazia e já encontrou os parentes mortos. 'Quando abri a porta, vi ela (Rosilene) estendida no chão. Chamei, achando que estava dormindo, mas ela não respondeu. Depois vi o menino (João Vitor) no balde, tentei tirar, quando vi que estava morto e corri para chamar a polícia', contou, ainda em estado de choque. Edvaldo confirmou que Luiz Lopes vinha procurando Rosilene para manter relções sexuais, mas ela se negava a atender. 'Ele queria, mas ela, não. Isso era toda vez que ele vinha trazer os R$ 30 para a filha. Ele vinha e dormia no chão', disse o pintor.

A outra irmã de Rosilene, a dona de casa Maria Rosilda da Silva, 38, não conseguia parar de chorar e era amparada pelos vizinhos. 'Tanto que eu amo minha irmã e tiraram a vida dela. Como é que deixam um bandido desses solto?', repetia, inconsolável.

Os corpos das vítimas foram retirados da casa por volta do meio-dia e serão encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Caruaru, também no Agreste do Estado.

Mais Lidas