Coluna: Modéstia à parte, dirijo bem. Mas morro de medo toda vez que pego o volante

Por Igor Maciel
Por Igor Maciel
Publicado em 09/12/2011 às 14:39
Leitura:

O acidente que matou 34 pernambucanos em uma estrada federal na Bahia fez com que eu lembrasse disso.

Lembrei que o trânsito do Brasil é o décimo que mais mata em todo o planeta. Aliás, depois das recentes descobertas de planetas habitáveis em outros sistemas solares, posso dizer sem medo que é o décimo pior trânsito de todas as galáxias.

Bairrismo à parte, não deve haver coisa pior lá fora. Basta ver os números. No último estudo realizado, contabilizando o período 1998/2008, houve aumento de 25% nas mortes provocadas por acidentes.

O número de mortes de ocupantes de automóveis duplicou. O de ocupantes de caminhão triplicou. O número de ciclistas mortos quadruplicou. E as motos merecem um parágrafo separado. Em 1998 eram cerca de mil motociclistas mortos por ano. Em 2008 foram 9 mil. Aumento de 754%.

Agora o detalhe mais preocupante: em 1998 começava a entrar em vigor o novo Código de Trânsito Brasileiro. Podemos ser políticos e dizer que seria muito pior sem ele. Mas podemos ser realistas e olhar os números.

Podemos também ser solidários e pensar nos pais, mães e filhos que perderam quase 40 mil pessoas nesse período de 10 anos. Ou nas 34 famílias que perderam seus filhos e maridos em buíque durante o fim de semana. Não dá pra ser político, nem tergiversar.

Aliás, eu trocaria 20 códigos iguais aos do Brasil por cinco minutos de solidariedade de cada motorista nas ruas. Faria um bem enorme aos números e às famílias!


Mais Lidas