VIOLÊNCIA

Mais um taxista de Caruaru é vítima de latrocínio em menos de dois meses

Do NE10
Do NE10
Publicado em 16/01/2012 às 7:25
Leitura:

O taxista Lúcio José Bezerra, 40 anos, foi assassinado em Bezerros, Agreste de Pernambuco, na noite da sexta-feira (13). De acordo com informações da polícia, três jovens teriam oferecido cerca de R$ 90 para o mesmo os levar até Bonito, também no Agreste, onde estaria ocorrendo uma festa.

Ainda no percurso – mais precisamente nas imediações do trevo de Bezerros, que dá acesso a Camocim de São Félix (no início da PE 103), a vítima foi golpeada a punhaladas. A vítima morreu no local do crime.

Segundo a polícia, o taxista foi vítima de latrocínio (roubo seguido de morte), já que dois suspeitos, menores de idade, foram localizados no Sítio Serra do Retiro - próximo ao trevo de Camocim - portando o som do carro. Os dois menores foram conduzidos à Delagacia de Bezerros e, depois encaminhados à Funase de Caruaru. O terceiro suspeito não foi localizado. 

Outro taxista de Caruaru, José Barbosa da Silva, 57 anos, foi também vítima de latrocínio há menos de dois meses - em dezembro. Os acusados - Sandro Roberto de Vasconcelos e Felipe Marinho Pessoa foram presos. Há ainda um terceiro envolvido - Anderson Vanderlei, que sofreu uma tentativa de homicídio, e está sob custódia no Hospital Regional do Agreste, em Caruaru.

De acordo com a polícia, a vítima (José Roberto) teria saído da Praça do bairro Boa Vista I para fazer uma corrida e não voltou. O corpo dele foi encontrado no dia seguinte, em um matagal no bairro Luiz Gonzaga. O carro dele só foi achado no outro dia, incendiado próximo ao Cemitério Parque dos Arcos. Segundo a polícia, os acusados confessaram - em depoimento - o homicídio. O crime teve requintes de crueldade, pois eles mataram o taxista com golpes na cabeça, e ainda passaram com o carro por cima dele. Os acusados foram encaminhados à Penitenciária Juiz Plácido de Souza. O caso ocorreu em dezembro de 2011.

Apesar dos casos não apresentarem relação direta, há uma coincidência: é que, segundo a polícia, os menores teriam confessado – em depoimento – que o pai de um dos envolvidos conhecia o taxista morto por eles. No outro caso (de dezembro), os autores do crime também teriam admitido que o taxista teria reconhecido um deles, motivo que teria possivelmente reforçado a causa do crime.


 


Mais Lidas