ASSALTO

Após assalto, bandido diz que pegou arma emprestada com policial e os dois são presos

Do NE10
Do NE10
Publicado em 07/03/2012 às 9:14
NOTÍCIA
Leitura:

ATUALIZADA ÀS 12h45

Um policial militar foi preso na manhã dessa terça-feira (6), suspeito de envolvimento num assalto na cidade de Pesqueira, no Agreste de Pernambuco.

De acordo com a polícia, uma equipe foi acionada para atender uma ocorrência na Rua Felipe Camarão, no bairro São Sebastião e quando se dirigia para o local, se deparou com Erivan Claudino da Silva, 30 anos, fugindo após cometer um assalto num estabelecimento comercial do bairro.

O acusado foi preso com R$ 979 em espécie e uma pistola de Marca Taurus calibre 40, que segundo ele, foi fornecida por um amigo, o policial militar Thales Temistocles Casemiro Soares dos Santos, de 26 anos [há um ano na corporação]. Em depoimento, o assaltante afirmou que o acordo entre ele e o policial era pegar a arma emprestada, fazer o assalto e depois dividir o valor entre eles. Havia também a hispótese de, juntos, abrirem uma lanchonete com o dinheiro do roubo.

Os dois foram autuados em flagrante delito na Delegacia de Polícia Civil de Pesqueira. Erivan Claudino da Silva foi encaminhado para o Presídio Desembargador Augusto Dutra  (PDAD) de Pesqueira e Thales Temistocles para o Centro de Reeducação da PM (CREED/Recife). Os dois estão à disposição da Justiça.

Em nota enviada à imprensa, o advogado do policial Thales Temistocle, Rannieri Aquino, nega a participação de seu cliente no crime. Confira a nota na íntegra:

“Trata-se de uma acusação infundada, onde o acusado conhecido por Erivan, preso em flagrante, cometeu um furto na cidade de Pesqueira, com uma arma de propriedade do Policial Militar Thales Douza. A bem da verdade, Erivan era amigo de infância de Thales. O Erivan havia pedido a Thales para passar uns dias na residência do mesmo, narrando que passava por dificuldade, recebendo o consentimento do mundo, desde quinta-feira passada estava em sua residência e sentiu que sua arma, havia desaparecido, imediatamente o desconfiou de Erivan, a única pessoa que tinha acesso a sua casa, dai, foi procurá-lo, e deparou-se com o acontecido. Ressalta-se que o policial Thales acompanhou guarnição, até a apreensão do delinquente e foi vitima do excesso de confiança, estando prejudicado”.

Mais Lidas