estiagem

Em visita a Caruaru, governador anuncia investimentos para amenizar consequências da seca

Do NE10
Do NE10
Publicado em 01/05/2013 às 16:50
NOTÍCIA
Leitura:

Quase R$ 660 mil de investimentos em obras de infraestrutura e de combate aos efeitos da seca no Agreste pernambucanos foram anunciados pelo governador Eduardo Campos nesta quarta-feira (1º), em visita ao acampamento Normandia, na zona rural de Caruaru.

Entre os serviços, foi autorizada a construção de 21 cisternas tipo calçadão, com orçamento de R$ 236 mil. Para desenvolver o beneficiamento de raízes, foi articulado um convênio entre as secretarias de Agricultura e Direitos Humanos, ação que tem investimento de R$ 432 mil. Um acordo com a Prefeitura de Caruaru tem o objetivo de desenvolver a agricultura familiar.

LEIA MAIS
» Programas de convivência com a seca não saem do papel
» A seca e a chuva fazem chorar
» Dilma promete R$ 5 bi em equipamentos contra seca


A visita do governador e de outras figuras políticas locais marcou o aniversário de 20 anos do assentamento. Eduardo Campos falou sobre a luta dos agricultores que ainda não têm terras, enfatizando que a reforma agrária deve ser feita com políticas públicas, além da distribuição das terras.

GRITO DA TERRA - No entanto, agricultores saíram de uma reunião com o governador realizada nessa terça (30) insatisfeitos, pois algumas propostas da pauta de reivindicações entregue há cerca de duas semanas ao Governo do Estado não foram acatadas. "Nós estávamos querendo que o governo evoluísse em relação aos agricultores pernambucanos. Propomos a criação de uma secretaria de agricultura e de uma política de estruturação da Zona da Mata", explicou o presidente da Fetape, Doriel Barros, nessa terça.

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Pernambuco fez uma caminhada por ruas e avenidas do Centro do Recife na terça para mostrar as reivindicações. "Vieram delegações até do alto Sertão. Conseguimos juntar aqui no Centro, aproximadamente, cinco mil pessoas numa passeata. Essa foi uma forma de nós mostrarmos à sociedade que temos problemas e queremos a resolução deles", afirmou o presidente da Fetape.

Mais Lidas