PROTESTO

População volta às ruas em nova manifestação em Belo Jardim

André Luiz Melo
André Luiz Melo
Publicado em 22/06/2013 às 16:19
NOTÍCIA
Leitura:

Um grupo formado por centenas de estudantes, jovens e moradores de Belo Jardim, município no Agreste do Pernambuco, voltou às ruas pelo segundo dia consecutivo em mobilização pacífica nessa sexta-feira (21). O ato começou em uma concentração iniciada às 16h, na Praça da Conceição, área central da cidade.

Depois de confeccionarem faixas e cartazes reivindicando mais investimentos em setores públicos como saúde, educação, cultura, incentivo aos jovens e combate à corrupção, os manifestantes seguiram marchando pelas principais ruas do centro da cidade com destino à prefeitura. Durante o percurso, os manifestantes em um ato simbólico, pararam o cruzamento da avenida Deputado José Mendonça Bezerra com a rua Floriano Peixoto, no centro, e sentaram no chão. Eles cantaram o hino nacional e logo em seguida liberaram a via dando sequência a mobilização.

Ao chegarem em frete ao Palácio Municipal, os integrantes do movimento novamente interditaram a avenida Deputado José Mendonça Bezerra, sentaram na via  e, durante cerca de dez minutos, alguns líderes do manifesto discursaram apresentando cobranças ao Executivo. Os manifestantes ainda gritaram a expressão “a prefeitura é nossa” e mais uma vez entoaram o hino brasileiro.

Para o estudante de ciências da computação da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e um dos organizadores do ato público Paulo Roberto, 23 anos, o saldo final do protesto atingiu os objetivos do grupo. “Foi positivo, muito bom. A juventude se uniu pelas redes sociais e saiu às ruas”, analisou o jovem.  

De acordo com o tenente Paulino, do Grupo de Apoio Tático Itinerante (Gati), a Polícia Militar acompanhou a manifestação com um efetivo de aproximadamente 50 policiais e dez viaturas. Para o PM, os manifestantes realizaram a mobilização, que durou até as 19h30, de forma tranquila. “O pessoal aqui foi muito bem. Tudo transcorreu diferente dos atos que temos visto em algumas capitais pelo país”, finalizou o militar.

Mais Lidas