TRANSPOSIÇÃO

Governo promete gerar mais 2.00 empregos com o Projeto São Francisco até outubro

Do NE10
Do NE10
Publicado em 01/08/2013 às 9:20 | Atualizado em 31/12/1969 às 21:00
Leitura:

O Ministério da Integração Nacional anunciou no último dia 31/07 o reforço das  frentes de serviço da maior obra de infraestrutura hídrica do país - o Projeto de Integração do Rio São Francisco. Estão previstas a contratação de mais dois mil novos empregos até outubro deste ano.  Isto se deve ao fato do Ministério concluir, nesta semana, os dois últimos processos licitatórios das obras complementares do empreendimento.  As frentes de serviço do Projeto São Francisco que passam por Mauriti, no Ceará; São José de Piranhas e Monteiro, na Paraíba; e Sertânia, em Pernambuco, serão intensificadas.

No início desta semana, o Ministério concluiu a licitação da chamada 3 Leste do empreendimento. "Na próxima semana já vamos emitir a primeira ordem de serviço do último trecho do Eixo Leste, em Monteiro (PB)", informou o ministro da Pasta, Fernando Bezerra Coelho. A próxima licitação a ser concluída é da chamada 3 Norte, que contempla os antigos lote 6, em Mauriti (CE), e lote 7, em São José de Piranhas (PB). Com mais esta conclusão (Meta 3 Norte), os serviços deste trecho serão retomados.

De acordo com a assessoria do Ministério da Integração, atualmente, mais de 5.800 pessoas trabalham na construção de canais, aquedutos, túneis, barragens e estações de bombeamento que vão levar água e garantia hídrica aos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. O Governo Federal também possui 600 profissionais atuando na fiscalização, supervisão e gerenciamento do Projeto São Francisco.

O Projeto de Integração do Rio São Francisco faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).  Ainda pelo PAC, o Governo Federal, em parceria com os governos estaduais, financia outras centenas de empreendimentos que estão gerando soluções estruturantes para a falta d'água na região do semiárido. A cada R$ 1 investido na integração do rio São Francisco, outros R$ 2 são aplicados em obras estruturantes para garantir a segurança hídrica no Nordeste.

Os investimentos em infraestrutura hídrica mais que triplicaram, passando de R$ 7,2 bilhões no PAC 1 para R$ 26 bilhões no PAC 2, nos eixos Oferta de Água, Seca, Irrigação, Drenagem e Revitalização. São obras estruturantes, como barragens, adutoras e canais, que já estão transformando o semiárido brasileiro.


Mais Lidas