sem luz

População de Lagoa dos Gatos sofre com falta de energia

Do NE10
Do NE10
Publicado em 02/12/2013 às 11:30
NOTÍCIA
Leitura:

Moradores de Lagoa dos Gatos, município no Agreste pernambucano a 172 km do Recife, denunciam ter ficado sem energia por mais de 24 horas desde o domingo (1º) até esta segunda-feira (2). De acordo com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), o fornecimento de luz foi retomado por volta das 11h20, quando também foi detectada a falha.

"Desde ontem (esse domingo), faltou luz e não voltou mais. Hoje (esta segunda), na madrugada, às 3h30, piscou e voltou a faltar", relatou a dona de casa Cleia Torres, 60 anos. A Celpe, no entanto, negou que toda a cidade tenha sido afetada, além de afirmar que a luz voltou na tarde desse domingo, embora o fornecimento tenha sido interrompido novamente depois.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa da Celpe informou que uma equipe da concessionária de energia percorria Lagoa dos Gatos nesta manhã para detectar o problema: uma falha em um dos seus componentes. A empresa não divulgou ainda qual foi a abrangência do problema.

Cleia Torres reclamou que a falta de informação sobre a falha deixou os moradores preocupados. "Ligamos desde cedo para a Celpe e não tivemos uma resposta concreta. Prometeram várias vezes que a luz voltaria algumas horas depois e não voltou. Eles também não disseram o que estava acontecendo", afirmou.

Com alimentos estragados na geladeira, Cleia Torres procurou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). De acordo com a resolução 414, de 2010, é de responsabilidade da concessionária arcar com todos os custos. "Ontem teve festa na cidade e todos os comerciantes que se prepararam por um ano para ela tiveram prejuízo", disse a dona de casa.

O filho dela, o dentista Paulo Arthur Lira Coelho, 26, não pôde trabalhar nesta segunda-feira por causa da falta de energia. "Antes disso, já tive alguns equipamentos quebrados por causa de uma oscilação de energia. Há quatro meses, pelo menos uma vez por semana, tudo apaga e volta ao normal logo depois. A minha preocupação é que trabalho com máquinas caras, como raio-x", denunciou. De acordo com o dentista, o problema é sentido no seu consultório desde dezembro do ano passado.

Mais Lidas