Crime

Homem é preso acusado de incendiar agência de banco para cometer estelionato

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 18/07/2014 às 7:44
NOTÍCIA
Leitura:

Incêndio foi provocado no dia 26 de junho em uma agência da Caixa Econômica de Belo Jardim, no Agreste do Estado
Foto: Polícia Federal/Divulgação
A Polícia Federal em Pernambuco prendeu na última quarta-feira (16), um pintor acusado de incendiar uma agência da Caixa Econômica Federal na cidade de Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco, para cometer estelionato. Alexandre do Nascimento Monteiro, 26 anos, morava em Caruaru, também no Agreste, e não possuia antecedentes criminais.

O flagrante foi efetuado quando Alexandre foi até o banco solicitar o ressarcimento de R$ 15 mil, divididos em cinco envelopes de R$ 3 mil, que ele supostamente teria perdido em um incêndio ocorrido no dia 26 de junho deste ano. Por meio das imagens da câmera de segurança e investigações de peritos federais, a polícia sabia que o crime - o qual causou à CEF um prejuízo de R$ 80 mil - havia sido cometido por dois homens, e que os envelopes do preso haviam sido depositados vazios.

Nota à Imprensa 098-2014-(Golpe-CEF-Falsa-Contestação)-Foto-12-Colocando-Gasolina-Caixas+

Imagens das câmeras de segurança ajudaram a polícia a chegar ao detido

Alexandre foi autuado por estelionato e causar incêndio, colocando em risco o patrimônio e a vida das pessoas, e caso seja condenado, poderá pegar penas que variam de três a 12 anos de reclusão, podendo ser aumentada por ter sido contra a Caixa Econômica. Ele foi encaminhado para a Penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru. O outro criminoso já foi identificado e está sendo procurado pela PF.

Nota à Imprensa 098-2014-(Golpe-CEF-Falsa-Contestação)-Foto-13-Caixas-Incendiados+

Princípio do fogo pode ser visto nas imagens

Em seu interrogatório, Monteiro admitiu ter simulado os depósitos e ateado fogo nos terminais eletrônicos. Ele alegou estar passando por situação financeira difícil, uma vez que paga pensão alimentícia de dois filhos.

Mais Lidas