Presos em operação

Médicos presos podem ter extorquido R$ 5 milhões de pacientes, diz polícia

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 12/11/2015 às 7:52
NOTÍCIA
Leitura:

Suspeitos atuavam no Hospital Regional do Agreste (HRA)
Foto: Reprodução/TV Jornal.
Os profissionais presos durante a operação Hipócrates, em Pernambuco, teriam extorquido cerca de R$ 5 milhões de pacientes de acordo com investigações da Polícia Civil. Os envolvidos - dois médicos, um vereador e outras seis pessoas - foram presos nessa quarta-feira (11). Eles são suspeitos de indicar a pacientes da rede pública a realização de cirurgias sem indicação de necessidade.

De acordo com a Polícia Civil, a operação tinha por objetivo prender suspeitos de corrupção ativa e passiva, tráfico de influência, lesão corporal e de integrar uma organização criminosa. Buscas foram realizadas em Caruaru, Agrestina, São Caetano, Tacaimbó, no Agreste e no Recife. A polícia informou ainda que durante as buscas foram apreendidos um revólver calibre 38, vários documentos e dez computadores. A investigação durou cerca de quatro meses.

Os profissionais investigados são suspeitos de captação de pacientes na rede pública de saúde para atendimento na rede privada, atraso na prestação de serviços para estimular o pagamento indevido de valores pelos pacientes e familiares, utilização de material cirúrgico além da quantidade prescrita e realização de cirurgias sem indicação de necessidade.

Mais Lidas