Especial

Explosões de agências bancárias crescem 27% em Pernambuco

Jaqueline Almeida
Jaqueline Almeida
Publicado em 31/12/2015 às 15:35
NOTÍCIA
Leitura:

A maioria das agências explodidas no estado é do Banco do Brasil.
Foto: Divulgação/PM.
O NE10 Interior monitorou durante o ano as explosões de caixas eletrônicos e cofres de agências bancárias em Pernambuco. O levantamento, distribuído em um mapa [ver abaixo], mostra que a maioria das explosões ocorreu em cidades do Interior. Algumas agências foram alvos dos bandidos pela segunda vez e uma foi explodida duas vezes no mesmo ano.

 
O número de agências que tiveram caixas ou cofres explodidos subiu 27,58% durante o ano. Em todo o estado, 37 agências sofreram arrombamento seguido de explosão segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS). A secretaria informou que 33 das 37 agências alvos de crimes com explosivos estão localizadas no interior. Não foi divulgada uma estimativa de prejuízos ou valores roubados. A maioria das agências explodidas no Estado é do Banco do Brasil.

Em Brejinho, parte da agência desabou após a explosão
Foto: Divulgação/PM.
A assessoria de imprensa informou que o BB não comenta os casos ocorridos nas agências e também não divulga a quantia que foi roubada. O Bradesco é o segundo banco com maior registro de explosões. A assessoria também informou que o banco não comenta as ocorrências. A Caixa Econômica Federal e o Bando Santander não responderam às solicitações enviadas pelo NE10 Interior.

A Polícia Federal informou que quatro agências da Caixa Econômica Federal foram assaltadas e outras três tiveram caixas eletrônicos ou cofres explodidos por bandidos. Dois suspeitos foram presos durante a investigação de um dos assaltos. A PF confirmou ainda que a mesma agência, localizada em Gravatá, teve equipamentos explodidos duas vezes neste ano.

Segundo o secretário de assuntos jurídicos do Sindicato dos Bancários de PE, João Rufino, três agências (CEF de Gravatá e de Ribeirão, e o Banco do Brasil de Venturosa) continuam fechados após as explosões.  As quadrilhas escolhem o Interior por causa da divisa com os outros estados. É mais fácil explodir uma agência numa cidade pequena com poucos policiais. Os grupos são especializados e possuem equipamentos de última geração. A polícia acredita que são pessoas do Sul do País com advogados em várias regiões.

Em Correntes, bandidos queimaram galinhas na fuga
Foto: Divulgação/PM.
CASO DE CINEMA -
Numa ação ousada e cinematográfica, o roubo de duas agências bancárias em Correntes, no Agreste do estado, chamou a atenção. A madrugada do dia 30 de janeiro teve explosões, perseguição, tiroteio, pedestres feridos e a explosão de quatro caminhões carregados de galinhas vivas.

Segundo a Polícia Militar, 15 homens armados com fuzis explodiram com dinamites as agências do Banco do Brasil e Bradesco, localizadas no centro da cidade, localizada a 281 km do Recife. Em seguida, fugiram com uma quantia em dinheiro ainda não informada. Durante a fuga, os suspeitos trocaram tiros com policiais. Duas pessoas que passavam pelo local foram atingidas de raspão.

Para interromper a perseguição, os bandidos roubaram quatro caminhões, carregados de galinhas vivas, de uma transportadora de frangos, e atearam fogo nos veículos, fechando as duas entradas da cidade. Dois caminhões foram colocados atravessados na PE-218 e outros dois na ponte que dá acesso à BR-424, impedindo a saída do efetivo policial.

BANDIDOS MORTOS
Já em Saloá, quatro bandidos foram mortos após a explosão de uma agência do Banco do Brasil. O caso ocorreu em agosto. A Polícia Militar informou, na época, que cerca de oito homens explodiram os caixas eletrônicos do BB no centro da cidade.

Na estrada, no sentido da cidade de Terezinha, os suspeitos trocaram tiros com policiais. Quatro foram atingidos e morreram após dar entrada no Hospital Regional Dom Moura, em Garanhuns, também no Agreste.

PROFESSORES REFÉNS - Um posto de atendimento do Banco Bradesco foi explodido no dia 5 de novembro em Tacaimbó. Cinco bandidos teriam utilizado explosivos para explodir o caixa eletrônico da agência. Um grupo de professores e alunos, que passa diante da agência, foi feito refém. Horas após o crime, os seis reféns foram encontrados em Brejo da Madre de Deus.

 

DUAS VEZES NO ANO A agência da Caixa Econômica Federal em Gravatá foi explodida duas vezes em 2015. A primeira explosão ocorreu em maio deste ano e a segunda, no dia 17 de dezembro. A Polícia Federal divulgou um vídeo que mostra a última explosão de caixas eletrônicos na agência.

Nas duas ações, os bandidos explodiram os caixas, roubaram o dinheiro e fugiram. A PF afirma que dois suspeitos foram presos após os crimes. Eles não tiveram os nomes divulgados.

ASSALTOS - O número de bancos assaltados em 2015 em Pernambuco subiu cerca de 300%, de acordo com Sindicato dos Bancários do estado. Segundo a SDS, 34 agências bancárias foram assaltadas em 2015 e, em outras 12, os bandidos não conseguiram concretizar o crime. Em 2014, foram 18 assaltos e 3 tentativas. No interior, o número subiu de 6 para 7 assaltos.

O Sindicato dos Bancários afirma que foram 53 assaltos a agências em 2015. A assessoria informou que o número é diferente do fornecido pela SDS. A diferença na contabilização seria devido ao fato de a secretaria considerar assalto apenas os crimes onde os bandidos conseguiram roubar dinheiro da agência. O sindicato considera todas as ações que funcionários foram pressionados por homens armados.

Para João Rufino, a maioria dos assaltos teria ocorrido por descuido ou negligência das agências. 15 dos 53 assaltos ocorreram após os bandidos quebrarem a porta de acesso a deficientes, que não é blindada, mas deveria ser. Outros crimes ocorreram por falta de agentes, explica. Os bancos informaram, por nota, que não irão comentar os pontos acima.

Mais Lidas