Doações

Em Caruaru, portadora de ELA consegue R$ 30 mil e compra aparelho de comunicação

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 14/07/2016 às 10:50
NOTÍCIA
Leitura:

Otávia está internada há quatro anos em hospital particular de Caruaru
Foto: Arquivo pessoal.
Internada há quatro anos em um hospital particular de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, Otávia Bandeira, de 32 anos, poderá voltar a se comunicar com familiares e amigos. Ela conseguiu, por meio de doações, cerca de R$ 30 mil, dinheiro suficiente para comprar o equipamento Tobii PCEye Go, que possibilita a comunicação e interação digital com o movimento dos olhos.

Otávia Bandeira foi diagnostica com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) há 8 anos. Apesar de toda força, a doença evoluiu e ela perdeu todos os movimentos do corpo. Ela permenece consciente e tem movimento nos olhos.

LEIA MAIS:
» Pesquisadores identificam gene associado à esclerose lateral amiotrófica
» Associação Pró-Cura da ELA alcança marca de 10 mil membros em grupo no Facebook
» Conheça a doença vivida pelo personagem de Eddie Redmayne, que levou o Oscar

Cerca de R$ 17.500 foram doados por várias pessoas da região. Um doador anônimo de São Paulo doou R$ 12.500 para completar o valor do equipamento. Segundo amigos, o equipamento será comprado no exterior e deve chegar no Brasil nas próximas semanas.  

Equipamento facilitará comunicação com familiares
Foto: Arquivo pessoal.
DOENÇA - A esclerose lateral amiotrófica (ELA) é provocada pela degeneração progressiva no primeiro neurônio motor superior no cérebro e no segundo neurônio motor inferior na medula espinhal. Esses neurônios são células nervosas especializadas que, ao perderem a capacidade de transmitir os impulsos nervosos, dão origem à doença. Apesar das limitações progressivas impostas pela evolução da doença, o paciente costuma ser uma pessoa dócil, amorosa, alegre, que preserva a capacidade intelectual e cognitiva e raramente fica deprimida.

Mais Lidas