Agreste

Obra deve garantir abastecimento de água em Surubim

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 02/08/2016 às 11:40
NOTÍCIA
Leitura:

Obras em execução no município de Bom Jardim têm o prazo de 60 dias para terminar
Foto: divulgação/Compesa
A Adutora de Palmeirinha, que atendia Surubim, no Agreste de Pernambuco, até 2001, será reativada. O motivo é o risco que a Barragem de Jucazinho, que está com apenas 0,3% da capacidade, entre em colapso. As obras estão em execução na Estação de Tratamento de Água (ETA) Buraco do Tatu, em Bom Jardim, e tem o prazo de 60 dias para encerrar.

O presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares, esteve no canteiro nessa segunda (1º) para avaliar a obra, que começou semana passada. De acordo com Tavares, o Governo do Estado autorizou o investimento de R$ 2,8 milhões para a reativação e solicitou que a obra fosse realizada em caráter emergencial.

Presidente da Compesa, Roberto Tavares, e técnicos estiveram na obra
Foto: divulgação/Compesa
Estamos vivenciando a pior seca dos últimos 50 anos e de acordo com as previsões da Apac, não deverá chover nos próximos meses o suficiente para reverter o quadro", afirmou o presidente. 

A Barragem de Palmeirinha/Pedra Fina está hoje com 80% da capacidade, que é de 6,2 milhões de metros cúbicos de água. As chuvas do inverno deste ano contribuíram para aumentar o volume do manancial. Com a reativação da antiga adutora, Surubim contará com uma produção de até 150 litros por segundo.

De acordo com a Compesa, alguns trechos da adutora, que tem 30 km de extensão, precisarão ser trocados. Também será necessário refazer a travessia da tubulação sob o Rio Caiaí, levada por uma enchente em 2004.

Mais Lidas