Economia

Projeto quer criar ligação entre Caruaru e cidade chinesa

Ana Maria Miranda
Ana Maria Miranda
Publicado em 13/09/2016 às 17:03
NOTÍCIA
Leitura:

Comitiva de chineses esteve em Caruaru em busca de parcerias culturais e comerciais
Foto: divulgação/PMC
Um projeto intitulado "Amizade China-Brasil", criado por um brasileiro que mora há quase 15 anos no país asiático, começou a dialogar com o governo de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, para aproximar as cidades com o objetivo de formar parcerias culturais e econômicas. O professor universitário fundador do projeto sem fins lucrativos e dois chineses de Quanzhou estiveram na última semana em Caruaru em um primeiro contato com a cidade.

Chineses visitaram projetos sociais da prefeitura
Foto: divulgação/PMC
O convite para a visita partiu do auditor do Tribunal de Contas do Estado Severino Antônio dos Santos, que é amante da cultura chinesa e ensina o curso básico de mandarim em uma faculdade de Caruaru. Biu, como é chamado, tornou-se o representante-voluntário do projeto em Caruaru, e viabilizou o encontro dos estrangeiros com a autoridade local. A ideia, segundo ele, é fazer com que Quanzhou vire "cidade-irmã" de Caruaru.

A comitiva que visitou a cidade é formada pelo professor e fundador do "Amizade China-Brasil", Marcos Lombello Rodrigues Filho, pela chinesa GuoTingting e pelo empresário chinês Tony Cheng Ching. Este último é sócio de uma empresa do ramo de energia que procura oportunidades de investimento em Caruaru. "Eles saíram daqui com uma forte impressão de fechar negócios e parcerias", garante Biu. 

A parceria no formato de "cidade-irmã" facilitaria o intercâmbio universitário, contribuiria para o estreitamento da relação entre o povo brasileiro e o chinês, proporcionaria condições para a geração de novas oportunidades de negócios bilateriais e criaria oportunidades de trabalho para artistas do Brasil na China e da China no Brasil. Durante os cinco dias de visita, a comitiva chinesa esteve nas faculdades Asces, Fafica, e UFPE, além das visitas à Acic, ao polo industrial de Caruaru e à fábrica da Vitamassa.

Severino Antônio dos Santos ensina mandarim em uma faculdade de Caruaru
Foto: Ana Maria Miranda/NE10 Interior
De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Caruaru, o grupo conheceu vários projetos sociais do município, como as orquestras de Metais e de Violino e o Balé infantil. Os visitantes estiveram ainda nos museus do Barro e do Mestre Vitalino e em ateliês de artesãos do Alto do Moura. "A gente está para marcar uma visita na cidade deles, mas ainda não tem data, estamos esperando o convite oficial", afirma o assistente técnico da pasta, Rená Ferraz, que acompanhou o grupo nas agendas que incluíam os trabalhos do município.

A comitiva fez visita oficial ao prefeito José Queiroz, que se mostrou disposto a firmar a parceria. "Aqui nós temos uma riqueza cultural que é conhecida no mundo inteiro, com exemplo a nossa arte no barro do Alto do Moura, a nossa Festa Junina e todas as demais manifestações culturais. Esse intercâmbio pode ser muito rico e útil para todos nós", disse o prefeito, em texto divulgado pela assessoria de imprensa. No domingo (11), a comitiva seguiu para São Paulo e Rio de Janeiro, para encontros econômicos não relacionados com o projeto e a passeio, antes de voltar para a China.

Formalização

Os próximos passos para fechar a parceria com Caruaru incluem, de acordo com Severino, a formalização da ONG no Brasil. "Como eu trabalho com fiscalização, de imediato eu já enxerguei que a gente teria que formalizar primeiro uma ONG nacional. Nenhuma entidade pública brasileira pode fechar negócio diretamente com nenhum país, a lei brasileira não permite. Tem que intermediar com uma empresa nacional ou uma ONG", explica. 

Será necessário, portanto, fazer uma extensão do "Amizade China-Brasil" no País. O representante do projeto em Caruaru é quem vai ficar com a responsabilidade de pesquisar organizações nos mesmos moldes, a exemplo do programa ASA, que já estabelece parcerias do Brasil com a Alemanha.

Mais Lidas