Eleições

Veja a prestação de contas parcial dos candidatos à Prefeitura de Caruaru

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 16/09/2016 às 15:50
NOTÍCIA
Leitura:

Caruaru, no Agreste, tem sete candidatos à Prefeitura
Montagem: NE10
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou nessa quinta-feira (15) as informações da prestação de contas parcial de partidos políticos e candidatos que concorrem aos cargos de prefeito e vereador nas eleições deste ano. Confira como aparecem os dados dos candidatos à Prefeitura de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, no DivulgacandContas.

O Delegado Lessa (PR) declarou que recebeu R$ 17 mil em recursos. Já em relação às despesas, foram R$ 126.727,78 contratados; o valor de despesas pagas ainda não foi divulgado. Sobre os números, a assessoria de imprensa do candidato disse que o prazo para pagar e divulgar os valores só encerra no fim das eleições.

Na área do candidato Jefferson Abraão (PCB), não consta nenhum valor recebido. O total de despesas informado foi R$ 799,98; o valor do que foi pago também não foi informado. A equipe do candidato afirmou que não ele não recebeu receita para as eleições e que os dados estão em conformidade com a lei eleitoral.

A candidatura de Jorge Gomes (PSB) recebeu R$ 419.330 em recursos. O total de despesas contratadas foi de R$ 1.347.869,66. Até o momento, foram pagos R$ 369.388,80.

O candidato Tony Gel (PMDB) recebeu R$ 70 mil em receitas e contratou R$ 383.390,79 em despesas. Até o momento, foram pagos R$ 44,10. A assessoria jurídica também informou que os dados finais serão divulgados posteriormente.

A candidata Raquel Lyra (PSDB) recebeu R$ 65 mil no início da campanha. As despesas contratadas foram de R$ 607.505,64, das quais R$ 47.500 já foram pagas.

Os dados do candidato Eduardo Guerra (Psol) e Rivaldo Soares (PHS) não constam no site do tribunal. A assessoria de imprensa de Eduardo disse que o candidato deve atualizar os dados até a semana que vem. 

Prestação de contas

As informações da parcial foram enviadas para o TSE entre os dias 9 e 13 deste mês, com informações relativas às transferências do Fundo Partidário e aos recursos em dinheiro e dos estimáveis em dinheiro recebidos para o financiamento da campanha e gastos realizados no início da campanha (16 de agosto até 8 de setembro).

De acordo com o TSE, a não apresentação da prestação de contas no prazo fixado em lei ou a sua entrega de forma que não corresponda à efetiva movimentação de recursos pode caracterizar infração grave, a ser apurada na oportunidade do julgamento da prestação de contas final.

Mais Lidas