Eleições 2016

Tony Gel e Raquel Lyra em busca de apoios para o 2º turno em Caruaru

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 05/10/2016 às 7:03
NOTÍCIA
Leitura:

Tony Gel (PMDB) e Raquel Lyra (PSDB) buscam apoios para o segundo turno em Caruaru
Fotos: Jorge Farias/Especial para o SJCC
Até o final desta semana, Raquel Lyra (PSDB) e Tony Gel (PMDB), que vão disputar o segundo turno em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, devem saber quais políticos irão apoiá-los na próxima votação. Os dois têm cerca de um mês para conquistar apoios e, principalmente, os votos dos eleitores. De acordo com os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mais de 63 mil eleitores votaram nos outros cinco candidatos que disputaram o primeiro turno, no qual Raquel conseguiu 44,7 mil votos e Tony teve 63,6 mil. Cerca de 15,4 mil foram brancos e nulos e 22,7 mil não compareceram.

Apoiado pelo deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB) e pelo vice-governador do Estado, Raul Henry (PMDB), Tony Gel disse que vai conversar com os dois para estruturar a campanha no segundo turno. Sobre o apoio dos candidatos derrotados, Gel disse que respeita os oponentes e que nas próximas semanas vai tentar conseguir o apoio dos eleitores deles. "Caruaru precisa de um prefeito experiente, que conheça realmente os caminhos da administração, porque há muito por se fazer. Todos nós sabemos que a saúde precisa melhorar, a segurança precisa melhorar, a educação precisa melhorar, então nós temos muito o que fazer e eu já conheço os caminhos", defendeu. Perguntado sobre se terá o apoio do governador Paulo Câmara (PSB), que ficou neutro em relação ao primeiro turno na cidade, Tony Gel disse que o político será bem-vindo, mas não confirmou se chegou a entrar em contato.

A candidata Raquel Lyra também acredita que o apoio maior deve vir dos eleitores. "Nossa busca primeiramente vai ser pelo eleitor, para apoiar nossa mensagem, nosso projeto de uma gestão verdadeiramente participativa e democrática, que permita que a gente dialogue com o futuro. O segundo turno é um plebiscito: se a população quer enxergar o futuro ou se quer voltar ao passado, representado por Tony Gel", afirmou. Perguntada sobre a busca por apoio, Raquel disse que já abriu conversas com os candidatos que não chegaram ao segundo turno. Além das lideranças locais, conversou com o ministro das Cidades, Bruno Araújo, e o senador Armando Monteiro Neto (PTB), que subiram em seu palanque na primeira etapa do pleito e se colocaram à disposição para voltar a contribuir no segundo turno, segundo ela. "O que a gente tem de diferente é que a gente vai abraçar mais pessoas, mais cores, mais partidos; vamos estar juntos para construir o futuro que Caruaru precisa", comentou, sobre as estratégias para os próximos dias de campanha. Apesar de ter deixado o PSB para poder se candidatar a prefeita, Raquel disse ainda que entrou em contato com o governador para discutir o segundo turno em Caruaru, e que vai respeitar a decisão do gestor, caso ele opte por não apoiá-la.

A presidente municipal do PSB, Laura Gomes, disse que vai conversar com os partidos que apoiaram a candidatura do marido dela, Jorge Gomes (PSB), para decidir que rumo irá tomar na disputa. "Estamos conversando para tomar uma decisão do conjunto do partido", afirmou, sem dar mais detalhes. Jorge é o atual vice-prefeito e era o candidato do prefeito José Queiroz (PDT). O candidato obteve 19,9 mil votos (11,62%) no primeiro turno. Filho do prefeito e presidente estadual do PDT, o deputado federal Wolney Queiroz coordena reuniões para saber qual será a posição da família Queiroz e dos Gomes.

O atual presidente da Câmara de Vereadores de Caruaru, Leonardo Chaves (PDT), que foi reeleito no último domingo, disse ter participado de um destes encontros junto aos vereadores eleitos e reeleitos no grupo de Queiroz e que a maioria deles estará do lado de Raquel Lyra. "Raquel é a minha deputada, foi a que votei e trabalhei para ela, então é uma tendência natural apoiá-la no segundo turno", disse. Chaves afirmou ainda que os Queiroz devem conversar com os Lyra para tomar uma posição.

Elemento surpresa nas eleições deste ano, o delegado Erick Lessa (PR) - que teve expressivos 41,1 mil votos (23,94%) - ainda não se pronunciou sobre um possível apoio a algum candidato no segundo turno, mas garante que o anúncio será feito em breve. "Ainda não tenho uma posição, estou me reunindo com meu pessoal para me posicionar", afirmou Lessa. O anúncio deve ser feito em coletiva de imprensa, a ser convocada até o fim da semana.

Mais Lidas