Segundo turno

Raquel Lyra é eleita a primeira prefeita de Caruaru

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 30/10/2016 às 18:36
NOTÍCIA
Leitura:

Raquel Lyra (PSDB) foi eleita a primeira prefeita de Caruaru neste domingo
Foto: divulgação
A deputada estadual Raquel Lyra (PSDB) foi eleita neste domingo (30) a primeira prefeita mulher de Caruaru, no Agreste de Pernambuco. Com 100% dos votos apurados, Raquel obteve 93,8 mil votos (53,15%), contra 82,6 mil (46,85%) do candidato derrotado nas urnas, o deputado estadual Tony Gel (PMDB). A diferença foi de 11,1 mil votos.

Brancos e nulos somaram 10,3 mil votos (5,54%). A abstenção foi de 23 mil (10,99%). O vice-prefeito eleito é o empresário Rodrigo Pinheiro (PSDB). Esta foi a primeira vez que a cidade decidiu a eleição municipal em dois turnos.

Durante a campanha do segundo turno, Raquel se apresentou como o futuro, enquanto tentou associar a imagem de Tony Gel ao passado, como "uma experiência que não vale a pena repetir". Em debates, relembrou a renúncia de Tony à Prefeitura de Caruaru, em 2008, quando o então presidente da Câmara dos Vereadores, Neguinho Teixeira, assumiu. Já fora da prefeitura, Neguinho acabou sendo preso e condenado por peculato e coação.

Já em relação aos apoios políticos, Raquel contou com a contribuição do pai, o ex-governador João Lyra Neto (PSDB), do prefeito José Queiroz (PDT) e do deputado federal Wolney Queiroz (PDT), do senador Armando Monteiro Neto (PTB), do ministro das Cidades, Bruno Araújo, do vice-presidente do PSB estadual, Luciano Vasquez, entre outros.

Para poder se candidatar à prefeitura, Raquel Lyra precisou mudar de partido. Ela chegou a ser cotada como pré-candidata pelo PSB, mas acabou tendo o nome substituído pelo de Jorge Gomes, que não passou para o segundo turno. Em março deste ano, ela, o pai e outros aliados migraram para o PSDB, com fichas abonadas pelo senador Aécio Neves.

Perfil

Raquel Lyra é formada em Direito e pós-graduada em Direito Econômico e de Empresas. Iniciou a carreira como advogada concursada do Banco do Nordeste. Depois, foi aprovada no concurso de delegada da Polícia Federal, cargo que exerceu até 2005. Naquele ano, passou no concurso da Procuradoria Geral do Estado. Licenciou-se do cargo quando foi eleita deputada estadual, em 2010. Em 2011, assumiu a Secretaria da Criança e da Juventude, no governo de Eduardo Campos, em que passou dois anos. Em 2014, foi reeleita para a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), onde até hoje preside a Comissão de Constituição, Legislação e Justiça (CCLJ).

Mais Lidas