Terror

Rebelião na Funase de Caruaru deixa sete mortos

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 31/10/2016 às 7:14
NOTÍCIA
Leitura:

Rebelião aconteceu na madrugada desta segunda (31)
Foto: Renan Vasconcelos
O Centro de Atendimento Socioeducativo (Case/Funase) de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, viveu momentos de terror na madrugada desta segunda-feira (31). 

Um reeducando morreu mutilado e outros seis carbonizados nas chamas ateadas em colchões e móveis durante a rebelião, de acordo com a Polícia Militar. Todas as vítimas eram menores de idade, de acordo com a Funase.

Equipes do Corpo de Bombeiros, Samu, Polícia Militar e do Instituto de Criminalística estiveram na unidade e os corpos já foram encaminhados para o Instituto de Medicina Legal (IML). Ainda segundo a polícia, um desentendimento entre detentos teria provocado a confusão. A situação já está controlada.

Em nota, a Funase confirmou que brigas entre grupos rivais causaram a rebelião e as mortes. As vítimas estavam nos alojamentos 1,2 e 4, que teriam sido invadidos pelos agressores.

Além dos mortos, quatro adolescentes ficaram levemente feridos e foram levados a unidades de saúde para fazer curativos. A fundação disse ainda que não irá revelar a identidade dos jovens mortos ou feridos, por questões de segurança.

Ainda de acordo com a Funase, os responsáveis pelas mortes e pelos danos ao patrimônio estão sendo identificados e serão conduzidos à Polícia Civil de Caruaru, que dará início às investigações. A Corregedoria da Funase também vai abrir uma sindicância para apurar a rebelião, que tem um prazo de 20 dias para ser concluída.

As famílias das vítimas fatais e dos feridos estão recebendo assistência da Funase, com apoio de um psicólogo.

Outros casos

Na última semana, outros quatro socioeducandos morreram após uma rebelião na Funase de Timbaúba, na Mata Norte do Estado. Na última segunda-feira (24), um princípio de rebelião foi registrado na Funase de Garanhuns, também no Agreste. Internos queimaram colchões e danificaram camas. No dia 14 deste mês, 13 internos fugiram da unidade; alguns já foram recapturados.

Mais Lidas