Adutora

Furto de água prejudica abastecimento em Itaíba, diz Compesa

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 04/11/2016 às 12:13
NOTÍCIA
Leitura:

Ligações clandestinas foram encontradas em propriedades rurais de Itaíba
Foto: divulgação/Compesa
A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) identificou 50 ligações clandestinas e recolheu mais de 5 mil metros de tubulações em propriedades rurais de Itaíba, no Agreste de Pernambuco, em ação de fiscalização durante o mês de outubro. De acordo com a companhia, o objetivo da operação é combater o furto de água ao longo da Adutora de Itaíba, que sofreu uma redução de 50% da vazão.

Mais de 5 mil metros de tubulação foram recolhidos
Foto: divulgação/Compesa
A água desviada estava sendo usada nas propriedades, principalmente, para irrigação e criação de animais. Segundo a Compesa, havia ligações feitas com canos de 75 mm de diâmetro, quando a adutora tem 150 mm. A equipe de combate aos furtos deve percorrer toda a extensão da adutora, que passa por várias propriedades particulares, o que de acordo com a companhia dificulta a operação. 

Em casos de flagrante, caso seja cliente da Compesa, a pessoa é notificada e recebe uma multa. Quando o furto é constatado em áreas em que o infrator não é cliente, a pessoa é notificada e convocada para regularizar a situação. A Compesa trabalha para quantificar a vazão recuperada do sistema e qual o reflexo da fiscalização para o abastecimento da cidade.

Adutora de Itaíba

A Adutora de Itaíba, que tem 26 quilômetros de extensão, teve uma queda de vazão de 33 litros por segundo para 17 litros, segundo a Compesa. Atualmente, os 27 mil moradores do município convivem em regime rigoroso de abastecimento (cinco dias com água e 23 dias sem). A adutora recebe água dos poços localizados no Sítio Baixa Funda, em Tupanatinga.

Mais Lidas